Mundo Operário

DESCONTOS NA CAIXA

O desconto do dia 29 não vai calar os trabalhadores da Caixa

quinta-feira 2 de julho de 2015| Edição do dia

Após 29 de maio, dia em que as principais centrais sindicais chamaram em todo o país paralisações em diversas categorias para barrar a terceirização e os ajustes, a Caixa decidiu punir com o desconto do dia trabalhadores que participaram deste importante dia de luta.

Longe de ser um problema restrito aos trabalhadores com ponto cortado, esta perseguição aberta e declarada pretende ser uma mordaça ao conjunto da categoria e tenta colocar freios à luta contra a terceirização e os ajustes, que está apenas começando. Ao mesmo tempo é uma contradição incontornável o fato da Caixa assumir um papel repressor pra cima dos trabalhadores que, justamente, estão se levantando em defesa dos direitos que a Caixa se orgulha tanto em defender como banco social do povo brasileiro, a exemplo do Abono do PIS e o Seguro-Desemprego.

Como resposta a este ataque, os trabalhadores estão se mobilizando para deixar bem claro que não vão baixar suas cabeças diante desta medida. Diversas reuniões tem sido feitas em agências do centro de SP, com a presença dos trabalhadores e de representantes sindicais de base, diretores do sindicato e da associação dos funcionários da Caixa, organizando atos nas aberturas das principais agências do centro.

Nas falas dos trabalhadores nestes atos, fica claro que se trata de uma campanha que busca se ligar ao conjunto das lutas em todo país, fortalecendo os trabalhadores contra a terceirização e os ajustes.

Silvano, trabalhador da Caixa, lembrou em sua fala que muitas demissões já ocorreram e que haveriam mais, com certeza, pois o cenário econômico indica isso, uma vez que os empresários, diretores e líderes do capital financeiro usam os momentos de crise pra mandar empregados embora e pressionar os que ficam para trabalharem o dobro, triplo.

Wagner, também delegado sindical, disse que esse desconto é consequência da forma histórica de se punir a classe trabalhadora em momentos de crise econômica, começando pelos trabalhadores minimamente organizados. “No Metrô de SP, trabalhadores foram demitidos e agora temos também esse desconto do dia de trabalho na Caixa e se não nos organizamos pra fazer frente a esses desmandos do capital materializados em política de governo, teremos consequências mais graves para o conjunto dos trabalhadores ainda a curto prazo”.

Thais, delegada sindical da Caixa, disse em sua fala à população que os trabalhadores que paralisaram no dia 29, lutam contra a realidade miserável que querem impor ao conjunto dos trabalhadores. “Na Caixa, lutamos para oferecer um serviço de qualidade à população e, para isso, defendemos que a efetivação de todos os trabalhadores terceirizados, presentes em todas as etapas de funcionamento do banco, da limpeza à tecnologia da informação, cumpre um papel fundamental na garantia dessa qualidade.”




Tópicos relacionados

Paralisação Nacional 29/5   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar