Política

CONSTRUA O ESQUERDA DIÁRIO NORDESTE

Nova fase do Esquerda Diário: convocatória ao Nordeste para organizar centenas de correspondentes

Shimenny Wanderley

Campina Grande

segunda-feira 1º de agosto de 2016| Edição do dia

Esquerda Diário no Brasil, faz parte de uma Rede Internacional La Izquierda Diario (LID), que é o primeiro grupo internacional de diários digitais de esquerda a nível mundial, em espanhol, inglês, português, francês e alemão. A Rede Internacional abrange 11 países e cinco idiomas com uma mesma voz para intervir na luta de classes com os trabalhadores, a juventude e os explorados e oprimidos, a caminho de construir a ferramenta de que necessitam os trabalhadores, partidos revolucionários a nível nacional e internacional.

A Rede Internacional é formada pelo La Izquierda Diario Argentina, que se converteu indiscutivelmente no principal site da esquerda nacional, e um dos principais entre os meios de comunicação do país. O Esquerda Diário aqui no Brasil e o Révolution Permanente na França (que foi porta voz dos trabalhadores e jovens que se mobilizaram contra a reforma trabalhista de Hollande), ambos são os principais portais de esquerda em seus respectivos países. Também na América Latina LID México, LID Chile, LID Bolívia, LID Uruguai e LID Venezuela; IzquierdaDiario.es na Espanha, KlassegegenKlasse na Alemanha, e Left Voice nos EUA e Grã-Bretanha. Estamos em plena expansão e crescimento.

Tivemos grandes conquistas. Semanalmente alcançamos mais de um milhão de pessoas no Facebook, mensalmente centenas de milhares de trabalhadores e jovens tomam o diário digital como uma fonte para opinião e posicionamento político em meio à crise econômica e política que vivemos. Batalhamos dia-a-dia sem um centavo patronal e de governos, mas com nosso esforço militante, denunciamos a arbitrariedade do poder judiciário, lutamos contra o golpe institucional desde uma posição independente do PT que não quis resistir ao avanço da direita.

Por importantes que sejam estas conquistas, para nós não são suficientes. Queremos influenciar dando opiniões de esquerda, anticapitalistas sobre cada fato político internacional, nacional e local que pudermos. Queremos não somente dar nossas opiniões mas expressar as lutas dos trabalhadores, da juventude, das mulheres, dos negros, dos LGBTs, e como em suas lutas avançam a posições classistas contra as patronais, como avançam em sua luta contra os golpistas por fora da conciliação petista, como denunciam este Estado capitalista construído em cima do patriarcado e do racismo. Realizar esta fusão entre ser um diário das lutas, dos trabalhadores e jovens de esquerda, e as ideias da esquerda anticapitalista frente à crise no país.

É com este norte, e partindo do que conquistamos, que queremos lançar uma nova fase do Esquerda Diário digital para que chegue a milhões, tenha centenas de correspondentes em todo o país e influencie amplos setores no marco do importante fenômeno político nacional, que se não está destituída de elementos à direita, abre também grandes perspectivas à esquerda.

Queremos organizar a voz dos que querem lutar contra o golpe, de maneira independente do PT

A crise orgânica do capitalismo, econômica, política e social que se aprofunda a partir de 2008 e se expressa de forma desigual e combinada em cada país, em cada formação econômico-social, com a falência das respostas tanto neoliberais ou ultradireitistas, como ‘reformistas’ neokeynesianas e neodesenvolvimentas com sua política de conciliação de classes, abriu também um grande espaço para aqueles que pretendemos não recompor um sistema em crise senão lutar desde uma perspectiva anticapitalista. Isso explica em boa medida o crescimento deste projeto.

No caso do Brasil a luta daqueles milhares que tomaram as ruas na luta contra o golpe foi subordinada pelo PT, a CUT e a UNE aos interesses eleitorais de Lula para 2018 e seus conchavos com a direita. Isso abriu também no país um espaço muito grande para aqueles que somos contra o golpe institucional, mas absolutamente independentes das políticas petistas. Defendendo a organização de nossa classe de forma independente dos patrões, dos governos e do Estado.

Existe um conjunto de lutas importantes no país, mas aparecem sempre de forma isolada, como se não tivessem possibilidade de coordenação umas com as outras, isso dificulta realizar balanços coletivos, extrair suas lições e se fortalecer mutuamente. Logicamente os grandes meios de comunicação as ocultam porque vão contra seus interesses.

O Esquerda Diário no Brasil batalhou em seus 15 meses de existência para dar voz a essas lutas e seus lutadores. Para tirar lições dos conflitos. Para dar opiniões sobre cada fato político.

Temos uma crise orgânica também no Brasil, temos a crise do PT e lutamos para isto não seja capitalizado pela direita pro-imperialista de Temer, Sérgio Moro e o PSDB, nem pela ultra direita reacionária de Bolsonaro, nem o eco-capitalismo neoliberal de Marina Silva e sua Rede com Banco Itaú e Natura, (Rede esta com a qual setores do PSOL como o MES de Luciana Genro pretendem construir alianças políticas eleitorais totalmente oportunistas e de direita, resgatando o projeto do PT que já fracassou). Lutamos pelo contrário para que neste espaço que se abre ganhem espaço novas ideias, as ideias anticapitalistas e socialistas.

A crise no país advinda com o golpe institucional também representou um processo de reorganização da esquerda nacional: basta ver como estão em crise as organizações que não souberam reconhecer o golpe da direita, e principalmente a ruptura de centenas de militantes do PSTU, que conformaram o MAIS (Movimento por uma Alternativa Independente e Socialista), processo a partir do qual queremos fazer os esforços para avançar em debates programáticos e estratégicos.

Para isso é central nos desenvolver muito mais ainda em diferentes regiões de Brasil. Isso justamente é nossa convocatória e nosso desafio no Nordeste.

Nos últimos meses nossa presença no jornal Esquerda Diário aumentou significativamente. Nossa denúncia do descaso com os professores do RN teve grande repercussão, assim como as matérias vinculadas à crise hídrica na Paraíba. Contribuímos com matérias sobre problemas locais, estaduais e nacionais, sindicais e políticos (como a militarização do RN por Temer), artigos teóricos, de cultura, de sociedade e até de esportes, ampliamos de fato a quantidade e a qualidade de nossa produção, além de divulgar tarefas de propaganda e participar das campanhas do jornal com todas nossas energias. Transformamos nossa página no facebook que originalmente era Esquerda Diário Paraíba em Esquerda diário Nordeste que ganhou em sistematicidade.

Mesmo com importantes conquistas vamos por mais, a situação política do país o permite e exige. É preciso desenvolver e dar visibilidade às ideias anticapitalistas e a por sua vez exige que as lutas e as opiniões dos trabalhadores e da juventude encontrem voz. Pretendemos chegar a milhões na Internet mas também organizar centenas de correspondentes e assim ter milhares debatendo, opinando, escrevendo em diversos locais de trabalho e estudo: este é o novo desafio do Esquerda Diário e o que nos propomos a fazer no nordeste.

Queremos organizar a voz daqueles que tiram lições da década petista e sua não resistência ao golpe, organizar e dar voz as novas gerações que ocupam suas escolas e desde a luta “para poder usar shortinho” e cotas nas universidades não queremos deixar pedra sobre pedra do opressivo capitalismo em nosso país. Usamos as novas tecnologias digitais todo quanto podemos, sabendo que não são neutras para organizar, difundir, opinar e tomamos as medidas políticas necessárias para termos um leninismo de acordo os nossos tempos.

Não avançaremos em formar uma geração de anticapitalistas sem lhe dar voz e sem ter uma forte voz digital, impressa, nos locais de trabalho e estudo, desta visão que temos deste mundo de miséria e opressão e como enfrentá-lo.

Por isto convocamos aos lutadores do Nordeste, que tomem Esquerda Diário nas suas mãos, que se transformem em intelectuais orgânicos de nossa classe, que sejam correspondentes do Esquerda Diário, que escrevam suas opiniões, suas denúncias, que contem suas lutas, comentem sobre as opiniões que emitimos, difunda o Esquerda Diário. Que pense que sua matéria pode elevar a consciência da classe trabalhadora e a juventude e no marco de uma estratégia revolucionária avançar nas lutas para a construção de uma ferramenta política independente dos trabalhadores.

Convocamos a você para que contribua também e participe deste desafio que é, quando as crises se aprofundam, poder fortalecer uma voz anticapitalista, desde o nordeste, para o Brasil e numa perspectiva internacionalista.

Construa conosco o Esquerda Diário no Nordeste, faça parte da rede de correspondentes na região enviando notícias da sua cidade, estado, local de trabalho/estudo ou tema de seu interesse.

Facebook: https://www.facebook.com/esquerdadiarionordeste/?fref=ts

E-mail: esquerdadiarionordeste@gmail.com

Telefone/ WhatsApp: (83) 9 8832-1917 e (83) 9 9804-1517

Baixe seu aplicativo no celular




Tópicos relacionados

Esquerda Diário   /    Esquerda   /    Política

Comentários

Comentar