Internacional

VACINAÇÃO NA ARGENTINA

Na Argentina, após escândalo das "vacinas VIP", ministro da saúde renuncia

O ministro da saúde da Argentina, Ginés Gonzalez Garcia, teria distribuído doses da vacina contra a Covid-19 para amigos, familiares, servidores e secretários do governo, furando a “fila” da vacina por não priorizar grupos como idosos e pessoas com comorbidades que necessitam serem imunizadas primeiramente.

sábado 20 de fevereiro| Edição do dia

Imagem: Agência Brasil

O ministro da saúde da Argentina, Ginés Gonzalez Garcia, teria distribuído doses da vacina contra a Covid-19 para amigos, familiares, servidores e secretários do governo, furando a “fila” da vacina por não priorizar grupos como idosos e pessoas com comorbidades que necessitam serem imunizadas primeiramente.

Segundo o portal de notícias G1 o ministro renunciou a pedido do presidente Alberto Fernández, após a revelação dessa escândalo. Em resposta a Fernandez o ministro pontuou nessa sexta feira (19 de Fevereiro de 2021):
"Respondendo a seu pedido expresso, apresento-lhe minha renúncia ao cargo de ministro da Saúde", escreveu González em carta enviada ao presidente argentino, na sexta-feira (19).

No lugar de González ficou a secretária de acesso à saúde, Carla Vizzotti, especialista em medicina e que tem se destacado por negociar a importação da vacina russa Sputinik V para a Argentina.

A Argentina apresenta um total de 51 mil mortes e 2.054.681 de pessoas infectadas pelo Sars-Cov-2. Na América do Sul o pais é o terceiro em número de óbitos, ficando atrás apenas do Brasil e da Colômbia. No país a campanha de vacinação teve início no dia 30 de Dezembro de 2020, atualmente o governo tem usado de um lista prioritária que leva em consideração: profissionais da saúde e idosos, acima dos 70 anos, que vivam em instituições de cuidado intensivo.

As vacinações fora desse grupo teriam sido nomeadas de “Vacunatorio VIP” pela imprensa argentina, e teriam ocorrido dentro da sede do Ministério da Saúde, em um prédio da Avenida 9 de julho, na região central de Buenos Aires. Segundo o G1, um total de 3 mil doses da vacina Sputnik V, foram reservadas para aplicação em funcionários da Saúde e outros escolhidos para integrar essa lista VIP




Tópicos relacionados

Vacina   /    COVID-19   /    Alberto Fernández   /    Argentina   /    Internacional

Comentários

Comentar