Gênero e sexualidade

DEPUTADA DO PTS PELA LEGALIZAÇÃO DO ABORTO

Myriam Bregman: “O grito Ni Una Menos é também para que não morramos pelo aborto clandestino”

A deputada do PTS na Frente de Esquerda marchou pelas ruas de Buenos Aires junto à multidão. “Todas e todos com a bandana verde, eleita para exigir o direito a decidir”, expressou.

terça-feira 5 de junho| Edição do dia

A deputada da Cidade de Buenos Aires pelo PTS-Frente de Esquerda marchou pelas ruas portenhas junto à uma multidão aos gritos de “Nem uma a menos, vivas nos queremos!”.

Em diálogo com o Esquerda Diário expressou que “estamos mobilizadas acompanhadas por uma multidão de jovens que vieram se manifestar, muitas mulheres com crianças que as acompanham. Todas e todos com a bandana verde que foi escolhida como bandeira para exigir seu direito de decidir, que neste contexto se mistura com a exigência de “Nem uma a Menos!”.

“É lógico que isso aconteça, porque todo movimento social de exigência política vai se reatualizando. E aquela demanda pela qual saímos às ruas massivamente pelo grito de Ni Una Menos hoje está atravessado também pela discussão sobre o nosso direito de decidir e que não exista mais nem uma morta por aborto clandestino”, defendeu Bregman.

E adicionou que “esta discussão se dá em um contexto político singular, onde o governo está fechando seu acordo com o FMI e nós mulheres sabemos que as principais prejudicadas nas políticas de ajuste que este acordo vai trazer somos as mulheres e as crianças, porque somos maioria entre os mais pobres”.




Tópicos relacionados

Aborto   /    #NiUnaMenos   /    #NemUmaMenos   /    Direito ao aborto   /    Gênero e sexualidade   /    Internacional

Comentários

Comentar