Negr@s

CONTAGEM REGRESSIVA 8 DE MARÇO - BASTA DE MULHERES AGREDIDAS E MORTAS!

Mulher negra rouba por fome e é agredida por seguranças: basta de machismo e racismo! Justiça já!

Durante as últimas semanas, viemos fazendo uma Contagem Regressiva para o 8 de março, em resposta ao chamado de paralisação geral no Dia da Mulher, assinado por diversas lutadoras dos EUA. Para nos lembrar da dureza e das enormes injustiças pelas quais temos que protestar, tivemos acesso ao vídeo de uma mulher sendo covardemente agredida por dois seguranças de mercado após roubar um macarrão por fome.

sexta-feira 17 de fevereiro| Edição do dia

O vídeo publicado pela página RC TV Interativa mostra uma mulher negra pedindo desculpas pelo roubo da comida enquanto é insistentemente agredida por dois seguranças do mercado, um destes que também faz a gravação do vídeo. Ela é forçada a pedir desculpas, assumir que roubou, abaixar as mãos para não proteger o rosto ou a cabeça. Ela recebe tapas no rosto e golpes com o que parece ser um cassetete e depois com um pacote de macarrão.

O roubo famérico – por fome – não é considerado crime, justamente pela sua origem ser o desespero do indivíduo pela ausência de alimento. É possível imaginar um mapa da vida dessa mulher, que desde os ataques que vinham do governo PT até o pós golpe de Temer, está cada dia com mais fome, sem perspectiva de emprego, estabilidade, moradia. A situação só tende a piorar, e é preciso que nos armemos contra as atitudes covardes dos que defendem a todo custo a propriedade daqueles que nos roubam todos os dias, fazendo uso dos piores tipos de instrumentos do sistema capitalista, como a opressão de gênero e raça.

É preciso reafirmar que, apesar do que tornou comum fazer em nosso país, ninguém pode ser considerado culpado sem provas, evidências e investigações, resultando que ninguém pode ser punido por algo que não tenha sido comprovado que tenha feito. Além disso, atitudes como agressões, linchamentos, torturas e execuções são punições que, apesar de praticadas indiscrimidamente, são ilegais em nosso país.

No Mapa da Violência de 2015 se comprova que um dos principais “executores” de setenças contra mulheres negras é a própria polícia, responsável por 1 a cada 4 mortes violentas de mulheres negras. A violência institucional contra negras e negros, herdada no Brasil dos tempos de escravidão, é a principal responsável pela atitude desses “seguranças”, que veêm naquela mulher uma presa fácil, que jamais será defendida pela justiça brasileira que prende 33% da população carcerária sem sequer julgar, que mantém livres os assassinos de Luana Barbosa, de Claudia e de Cícera, trabalhadora da USP assassinada há exatos dez anos, dentro de sua casa.

Não fazemos coro com motins policiais que encorajam covardes agressores em todo o país. Fazemos coro à convocação de uma paralisação internacional de mulheres no 8 de março porque queremos ver punidos esses seguranças, queremos a garantia de alimento para essa e outras mulheres que morrem de fome com a crise capitalista que nos querem fazer pagar. Estaremos nas ruas exigindo nosso direito ao pão, mas também às rosas.

Convidamos vocês a acompanharem nossas publicações diárias da Contagem Regressiva para o 8 de março com debates sobre as mulheres negras, trabalhadoras, e sobre a luta contra a opressão e o capitalismo.




Tópicos relacionados

mulheres negras   /    Especial 8 de março   /    Mulher   /    Repressão   /    Violência contra a Mulher   /    Negr@s   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar