Sociedade

BOLSONARO - MOURÃO VICE

Mourão diz que famílias comandadas por mulheres permite a formação de "narco-quadrilhas"

O execrável candidato a vice de Bolsonaro, Hamílton Mourão, mais uma vez abriu a boca para humilhar as mulheres. Desta vez, disse que famílias comandadas por mulheres, mães e avós, são verdadeiras "fábricas de elementos desajustados" em que "tendem a ingressar em narco-quadrilhas que hoje afetam todo nosso país".

quarta-feira 19 de setembro| Edição do dia

“A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais que estamos vivendo. E atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai nem avô. É mãe e avó. E, por isso, torna-se realmente uma fábrica de elementos desajustados e que tendem a ingressar nessas narcoquadrilhas que hoje afetam todo nosso país e em particular as nossas grandes cidades.”

É inadmissível que continuem a tratar das mulheres dessa forma. Essa chapa, que já tem despertado a revolta de milhões de brasileiros mostra a que veio: para tentar avançar por cima de direitos e da dignidade de trabalhadores, mulheres, negros, indígenas e lgbts.

Não é a toa que são justamente as mulheres o setor que está na linha de frente no combate às barbaridades que a chapa Bolsonaro-Mourão tem dito.
Em meio a essas eleições manipuladas pelo judiciário golpista e tuteladas pelas Forças Armadas, que impediram o direito do povo de decidir em quem votar, as mulheres apontam um caminho para combater por meio da luta a extrema direita de Bolsonaro e o golpismo, com manifestações marcadas em todo o país para o próximo dia 29.

Bolsonaro e Mourão são os fruto descontrolados do golpe institucional e da Lava Jato, que expressa a face mais podre desse regime degradado e, por isso, têm 49% de rejeição entre as mulheres. O candidato da extrema-direita representa o programa ultraneoliberal da burguesia, que, frente à crise capitalista, busca atacar ainda mais a classe trabalhadora. No Brasil, isso significa ataques, sobretudo, às mulheres negras. Seu discurso de ódio contra mulheres, negros, indígenas e LGBTs serve para aumentar ainda mais a divisão da nossa classe.

Convidamos todas e todos para construir conosco os blocos do Pão e Rosas nos atos de “Mulheres contra Bolsonaro”, mas principalmente a travar, em cada local de trabalho e estudo, uma batalha por essas ideias de um feminismo socialista e com independência de classe.

Leia mais: Mulheres à frente contra Bolsonaro, o golpismo e para que os capitalistas paguem pela crise.




Tópicos relacionados

Mulheres   /    Eleições 2018   /    Bolsonaro   /    Sociedade

Comentários

Comentar