Negr@s

RIO DE JANEIRO

Morre menino Vitor Gabriel baleado dentro de sua própria casa no RJ, o estado é o culpado

Vitor Gabriel teve morte cerebral ontem no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, o menino foi atingido por bala "perdida" enquanto brincava na sala de sua casa na segunda-feira.

sexta-feira 3 de novembro| Edição do dia

Vitor, de 3 anos de idade, estava brincando em sua casa, na Rua Iara, localizada na comunidade Buraco Quente, do bairro São Matheus, no Rio de Janeiro. Segundo o depoimento de seu pai, Anderson, os parentes teriam ouvido um estrondo e quando foram ver o que estava acontecendo, perceberam que Vitor estava machucado.

A família autorizou a doação dos orgãos do menino: "Pelo menos vai salvar outras vidas, que eu sei que as filas de espera são grande. Infelizmente, eu não sei como vai ser minha vida daqui para frente sem meu nego. Só Deus sabe", contou a mãe da criança ao G1.

Diversos casos como esse se tornaram rotina no Rio de Janeirol, Fernanda Adriana Pinheiro, moradora da Maré de 7 anos, também brincava quando foi atingida, no último dia 15 de fevereiro. Deitar no chão e se esconder no corredor para evitar serem baleadas faz parte do cotidiano da periferia, nem nas escolas há refugio possivel, como no caso da menina Maria Eduarda de 13 anos, estava na aula de educação física dentro da escola e foi atingida por não só um mas três tiros de fuzil, na Pavuna durante uma operação policial.

Ao longo do ano já são 9 crianças que foram mortas vitimas do fogo cruzado da policia, as "balas perdidas" não são casos isolados, elas demonstram o que o capitalismo reserva para os filhos dos trabalhadores.

O 21º Batalhão da Polícia Militar (São João de Meriti) e a imprensa insistem em dizer que não havia confronto algum entre policiais e traficantes no Buraco Quente no momento em que Vitor foi baleado, isso não tira a responsabilidade que a suposta guerra as drogas tem para casos como esse, o massacre do estado contra a juventude negra é justificada através dela com um imenso aparato repressivo que na verdade não atua sob os verdadeiros traficantes que estão muito longe das favelas.

Fonte da Foto: G1




Tópicos relacionados

Luiz Fernando Pezão   /    Marcelo Crivella   /    Crise no Rio de Janeiro   /    Violência Policial   /    Negr@s

Comentários

Comentar