Política

RICARDO BARROS VAI PARA HOSPITAL PARTICULAR

Ministro da Saúde de Temer passa mal em evento e é atendido... mas não no SUS, é claro

quinta-feira 9 de novembro| Edição do dia

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, precisou ser atendido no pronto-socorro do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, onde participava de um evento, após ter um pico de pressão na manhã desta quinta-feira, 9, em São Paulo.

Barros participava da cerimônia de abertura do Seminário Organizações Sociais de Saúde, realizado no hospital, quando teve um mal-estar por volta das 10h, de acordo com a assessoria do ministério.

O ministro, que fez um cateterismo e uma angioplastia na sexta-feira da semana passada, dia 3, foi submetido a um eletrocardiograma. Segundo a sua assessoria, o resultado foi normal e o médico informou que Barros está bem. Mesmo assim, até por volta das 11h, o ministro permanecia em observação no hospital. Ricardo Barros teria uma agenda no Hospital Estadual de Sapopemba, na zona leste da capital, também na manhã de hoje, mas ela foi cancelada.

Barros é um notório defensor dos interesses dos Planos de Saúde e, como ministro de Temer, faz de tudo para privilegiar os empresários do setor e diminuir o SUS, aumentando o mercado para o setor privado.

Como vemos, quando ele passa mal, recorre ao setor privado, diferente da maioria da população brasileira que tem que contar com os hospitais do SUS que Barros e seu governo ajudam a destruir. Um trabalhador que tenha um pico de pressão alta como ocorreu com Barros terá que enfrentar horas de fila para receber um atendimento simples. O eletrocardiograma que Barros fez para saber se estava bem e poderia receber alta seria um sonho jamais realizável em uma UBS, e que levaria a uma nova fila de fosse em um PS de um hospital. A internação para observação, uma quase ficção: o paciente seria rapidamente despachado. Se formos pensar então no cateterismo e na angioplastia que o ministro fez, aí poderíamos colocar uma fila de quem sabe meses.

Mas quem destrói a saúde e é fartamente financiado pelos empresários da saúde, esses sim podem contar com um atendimento rápido e eficaz.




Tópicos relacionados

Saúde   /    Política

Comentários

Comentar