Política

PLANO SAFRA 2018/19

Ministério da Agricultura lança Plano Safra 2018/19 com déficit de investimento

O Plano Safra, que é financiado pelo Banco do Brasil, este ano sob a regência de Temer, perdeu R$ 1 bilhão em investimentos. Ao todo, serão gastos R$ 31 bilhões na “bancarização” do crédito para pequenos agricultores familiares.

quarta-feira 4 de julho| Edição do dia

Cada agricultor familiar pode conseguir crédito de até R$ 10 mil. Esse dinheiro é utilizado para a compra de tratores e investimentos nas safras, principalmente de soja e milho na região sul do país; isso em um profundo detrimento de investimentos no Nordeste. Além do investimento servir apenas para manter o Brasil como celeiro fornecedor de produtos agrícolas ao mundo, também serve para criar um mercado entre os pequenos agricultores brasileiros.

Temer em seu pronunciamento hoje elogiou a cúpula do Conselho do Banco do Brasil, a qual é liderada por Caffarelli. Temer disse que apesar dos interesses individuais dominarem as transações, o governo rege com maestria e pensa no coletivo. Um disparate claro, pois a realidade é que, por meio desse crédito, o Banco do Brasil lucra ainda mais e é um dos principais detentores dos títulos da dívida pública brasileira, enquanto que o retorno para programas sociais que Temer evoca, como Bolsa Família e Minha Casa Minha Vida, são ínfimos.

Para ridicularizar ainda mais a nossa capacidade de inteligência, Temer ainda disse que ao pedir palmas para o seu projeto de maior lucro para o Banco do Brasil, Caffarelli criara um ambiente de energia positiva, num claro discurso demagógico em que o estado serve apenas para gerir os negócios da burguesia nacional, sempre em detrimento desta em relação à burguesia imperialista.

Prova disso foi a venda da empresa Embraer para a empresa Boeing ainda no dia de hoje. Cada passo de Temer serve apenas para favorecer os capitalistas, enquanto a maioria esmagadora do povo brasileiro não consegue nem pegar ônibus decente para voltar para suas casa.

Vale ressaltar que o PT fez de tudo para favorecer os bancos nesse grande esquema, e gerou apenas mais programas para entrar no cálculo geral de lucros, como o Brasil Sem Miséria. Não é por meio da mercantilização da responsabilidade do estado que o Brasil conseguirá se desenvolver, e foi isso que o governo do PT fez e que Temer continua fazendo, agora investindo menos.

Não há nada que limpe a ficha desses governos que servem à burguesia. A democracia burguesa com seus ministérios serve apenas para mascarar o grande golpe que é esse governo ilegítimo. Os bancos devem ser estatizados o quanto antes e devem ser geridos por trabalhadores, a fim de redirecionar os recursos para o benefício da maioria da população.

Além disso, cabe ressaltar que a ilegítima e fraudulenta dívida pública deve deixar de ser paga, para que dessa maneira esses bancos que demitem seus trabalhadores com a desculpa de corte de gastos parem de sugar o sangue da classe trabalhadora brasileira. A alimentação do povo brasileiro é um direito que deve ser assegurado e não deve estar nas mãos dos capitalistas.




Tópicos relacionados

Bancos   /    São Paulo (capital)   /    Política

Comentários

Comentar