Gênero e sexualidade

Milhares de mulheres em luta lotam as ruas do Rio no 8M

quarta-feira 8 de março| Edição do dia

Milhares de mulheres se concentraram na Candelária e pararam o centro neste 8M, Dia Internacional de Luta das Mulheres, fazendo parte das mobilizações do dia que ocorreram em mais de 40 cidades, acompanhando a paralisação internacional de mulheres que foi convocada em mais de 70 países. As mulheres saíram em passeata pelo centro do Rio de Janeiro:

Ao ato se somaram diversos sindicatos e organizações de esquerda. O Grupo de mulheres Pão e Rosas defendeu a necessidade de se paralisar as atividades neste 8M para unificar a luta das mulheres à luta contra os ataques aos trabalhadores por parte de Temer e Pezão, como a reforma da previdência e o pacote de ataques orquestrado para descarregar a crise do Rio de Janeiro nas costas das e dos trabalhadores, precarizando a saúde, entregando a água e o saneamento, fechando restaurantes populares e atacando a educação. Por isso o Grupo Pão e Rosas inclusive convocou as trabalhadoras da CEDAE que enfrentam a ameaça de privatização estar no ato.


Na foto, trabalhadoras da Cedae e mulheres do Pão e Rosas na luta contra a privatização, unidas contra o machismo e o capitalismo.

Também estiveram presentes estudantes de diversos locais, incluindo as estudantes da UERJ, também muito afetadas pela crise do estado e os ataques de Pezão e Temer, há meses sem saber se sua Universidade voltará algum dia a funcionar, sendo que nas vésperas do 8 M, a universidade demitiu centenas de trabalhadoras terceirizadas, mostrando como é urgente a aliança entre o movimento de mulheres e a classe trabalhadora.

Apesar de que os interesses das mulheres e dos trabalhadores pudesse confluir em uma paralisação pelo direito das mulheres e contra o Pacote de Pezão e Temer que quer fazer as trabalhadoras e trabalhadores e todo povo carioca pagarem a conta da crise do estado, a CUT e a CTB se negaram organizar esta paralisação, perdendo a oportunidade de confluir com este movimento internacional.




Tópicos relacionados

Especial 8 de março   /    Rio de Janeiro   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar