Mundo Operário

METROVIÁRIOS

Metroviários comemoram o dia das crianças em escola para deficientes visuais

Na última segunda-feira (13/10) metroviários da Estação Sé comemoraram o dia das crianças na escola para deficientes visuais "Lar Padre Chico". Durante o feriado do dia 12/10 foram preparados 152 kits com doces para serem entregues às crianças na escola que atende do ensino infantil ao fundamental.

Daphnae Helena

Metroviária e economista

sexta-feira 16 de outubro de 2015| Edição do dia

"Profissionalmente vivemos uma rotina tensa, daí a vontade de fazer algo diferente." diz André Luiz Silva, metroviário da Estação Sé. "A Escola para cegos padre Chico, foi a escolhida. Do contato inicial ao contato telefônico, foi um pulo. A coordenadora pedagógica Rosaline, se colocou a nossa disposição e sugeriu que levássemos "saquinhos de doce", proposta aceita e com o auxílio de alguns colegas foi possível comprar doces variados e de qualidade".

Os metroviários passaram uma parte da manhã na Escola participando das atividades com crianças de 2 a 14 anos. "A recepção foi muito boa, tanto os profissionais como dos alunos. O único ponto a considerar foi a falta de interação com os alunos, pois quando chegamos a atividade já havia terminado. Período agradabilíssimo e transformador. Sei que desta iniciativa, surgirão outras", acrescenta André.

Condução de deficiente visuais

Segundo a metroviária Joyce Rocha funcionária da Estação Sé que também fez parte da ação "durante o dia no trabalho auxiliamos portadores de necessidades especiais e achei bem importante conhecermos o outro lado da rotina de alguns deles".

O Metrô de São Paulo possui o serviço de condução de deficientes, que faz com que os trabalhadores tenham o contato diário com diversas pessoas com deficiência visual. Na Estação Sé, a mais movimentada do sistema, passam pelo sistema e requerem auxílio centenas de deficientes visuais diariamente.
"Fazer parte dessa ação faz um bem inenarrável para o meu crescimento pessoal. Participar dessa visita na Instituição Padre Chico e entregar os doces a estas crianças fez um bem maior pra mim do que a elas" afirmou Joyce Rocha.

Falta de funcionários

A política do Metrô de redução no quadro de funcionários tem impacto direto na qualidade do serviço prestado para a população. A condução de deficientes visuais durante os dias de semana não é mais realizada por funcionários efetivos, mas sim adolescentes que trabalham de segunda a sexta, o que, nos finais de semana, faz com que o atendimento seja ainda mais complicado pela pouca quantidade de funcionários nas estações do Metrô.

Recentemente casos tristes de deficientes visuais foram parar na mídia, como o de André Herculano que foi atropelado na Estação Sé em março desse ano. Na época os funcionários da Estação se solidarizaram por meio de uma carta que foi publicada também aqui no Esquerda Diário. Clique aqui para lê-la




Tópicos relacionados

São Paulo (capital)   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar