Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Meirelles negocia com partidos aliados a aprovação por inteiro do ataque à previdência

quarta-feira 8 de março| Edição do dia

O Ministro da Fazenda Henrique Meirelles, “número 1” dos governos que atacam trabalhadores e povo pobre, está se reunindo com as bancadas dos partidos que são da base de apoio do governo golpista de Temer na Câmara de Deputados, para garantir que a reforma da previdência seja aprovada por inteiro sem emendas ou supressões, da forma como foi proposta pelo governo. Segundo o próprio, “se reforma da previdência não foi completa, é melhor não fazer nada”.

Na terça, se Meirelles se reuniu com os deputados do PMDB, hoje sentará com outro partido apoiador de Temer, o PSD. Amanhã será o dia de sentar com outros golpistas, do PRB e PP. O Governo está em uma maratona para negociar a aprovação total dos ataques com cada partido, que começou com um luxuoso banquete oferecido aos Senadores nesta segunda-feira. Neste toma lá dá cá regado a caríssimos banquetes, com certeza vai sobrar cargo para todo político que quiser manter seus altos privilégios com o governo atacando os trabalhadores da cidade e do campo, no mesmo ano em que 3,6 milhões de brasileiros passarão a viver com uma renda de menos de 140 reais por mês.

Uma reforma da previdência muito diluída para não criar resistências não resolve o problema, afirmou o Ministro que foi um dos mentores do pacote de ataques aos servidores e ao povo pobre do Rio de Janeiro, quando Temer e Pezão assinaram um compromisso para tentar privatizar a CEDAE, companhia de águas e saneamento, dobrar a contribuição previdenciária e criar um teto de gastos aos serviços públicos. A votação da privatização da CEDAE veio ao custo, claro, de muita troca de cargos e negociatas entre os políticos como a própria imprensa burguesa noticiou.

Temer e sua equipe (dentre os quais, o “acusados de corrupção todos somos” senador Romero Jucá ) sabem muito bem manusear o jogo pobre da política burguesa, para aprovar os ataques e manter o apoio dos burgueses golpistas ao seu governo, vai negociando de tudo. Até o socorro aos estados quebrados pela dívida pública (como Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e outros) virou moeda de troca como descrevemos neste artigo.

Meirelles ainda teve a coragem de declarar que: o governo não fabrica dinheiro, até mesmo porque isso gera hiperinflação. Nós temos que equilibrar as finanças públicas. Além de isto não ser verdade, o governo não só controla e emissão de papel moeda, mas destinará mais da metade de seu orçamento para o pagamento da Dívida Pública, a maioria de títulos emitidos pela própria União, grande parte destes são de juros com taxas absurdas controladas pelos banqueiros detentores destes títulos que são representados por Meirelles.

Leia mais: Dívida pública alcançou R$ 3,112 trilhões em 2016, recorde de lucro dos bancos

Mas é justamente para manter os altíssimos lucros dos capitalistas que o golpista Temer quer enterrar o futuro de milhões de trabalhadores propondo com a reforma da previdência o aumento da idade mínima para 65 anos, mudando as regras para se aposentar, exigindo 49 anos de contribuição para ter a aposentadoria integral, mudando as regras para impedir que trabalhadores rurais se aposentem, cortando pela metade as pensões e propondo aumentar a alíquota previdenciária de 11 para 14%.

Leia mais: Entenda o plano de Temer para acabar com seu direito a aposentadoria




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Especial Previdência   /    Governo Temer   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar