Gênero e sexualidade

MULHERES TRABALHADORAS

Maíra Machado revolta-se com a situação das trabalhadoras grávidas após a Reforma Trabalhista

Em vídeo, a professora da rede pública de São Paulo, Maíra Machado, militante do grupo de mulheres Pão e Rosas, expressa seu ódio à aprovação da Reforma Trabalhista e denuncia situação das trabalhadoras grávidas e em amamentação com a reforma trabalhista. Nossas vidas valem mais que os lucros deles!

quarta-feira 12 de julho| Edição do dia

Em vídeo, a professora da rede pública de São Paulo, Maíra Machado, militante do grupo de mulheres Pão e Rosas, expressa seu ódio à aprovação da Reforma Trabalhista por parte de políticos corruptos e machistas, que nunca trabalharam.

Condena a reforma em especial por significar ainda mais precarização para a vida das mulheres, tanto dentro quanto fora do trabalho. Nem mesmo a mulher grávida foi poupada, pois agora poderá trabalhar em condições extremamente insalubres para ela e seus filhos. Além disso, a reforma arrasará as férias, os salários e o direito a organização das trabalhadoras.

"Basta de precarizar ainda mais a situação de vida das mulheres trabalhadoras. Exigimos o direito ao futuro, para nós e nossos filhos"

Veja o vídeo completo:




Comentários

Comentar