Sociedade

Mãe e Filha são mortas durante ação da policia, moradores fazem protesto na Radial Oeste

sexta-feira 30 de junho| Edição do dia

A policia racista novamente barbarizou a vida dos moradores com nova troca de tiros com traficantes, a ação prolongada do agentes do estado deixou 3 feridos, entre elas 2 mulheres, mãe e filha, que já chegaram mortas ao hospital Salgado Filho.

Marlene Maria da Conceição tinha 76 anos e Ana Cristina da Conceição, 42. São vitima do racismo da policia e do cotidiano impregnado com o constante massacre do estado com seu braço forte, que acaba com a vida de moradores, limita os horizontes e as condições de vida de toda a juventude negra e periférica.

Antes morrer Ana Cristina da Conceição postou em sua pagina na internet dizendo que não estava acreditando nas 3 horas de tiroteio dentro da comunidade, isso é mais uma amostra do modelo falido das UPP´s, uma verdadeira maquiagem, que agora com o estado e os municípios falidos viraram mote de uma escalada visível da violência contra o pobre, o negro e o periférico.

A morte das 2 mulheres revoltou a comunidade, que realizou uma manifestação, na qual foi queimado um ônibus e forte repressão do batalhão de choque, que respondeu com a sua tradicional truculência com bombas de gás lacrimogêneo e tiros de balas de borracha.

Mais uma vez se vê o flagrante extermínio ás mulheres, a periferia e a juventude negra no Rio de Janeiro em nome de uma falsa guerra as drogas, que na verdade é uma ferramenta extremamente lucrativa aos grandes empresários e aos verdadeiros traficantes, que estão muito longe das favelas. Como por exemplo, um helicóptero de mais de 600 quilos de cocaína foi atribuído a Blairo Maggi, ministro da agricultura de Temer.

fonte da fotos: G1 e EXTRA




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Violência Policial   /    Negr@s   /    Juventude

Comentários

Comentar