Gênero e sexualidade

TRANSFOBIA JUDICIAL

MPF de Goiás move ação para permitir que transgeneridade continue sendo tratada como doença

Após a transexualidade deixar de ser considerada transtorno mental pelo Conselho Federal de Psicologia, Ministério Público Federal de Goiás quer proteger psicólogos que descumpram a resolução

Cristina Rose

@CrisRoseMiranda

quinta-feira 5 de julho| Edição do dia

Após anos de luta contra a patologização das identidades trans, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) deixou de classificar a transexualidade como transtorno mental. Mas, como tudo o que é bom dura pouco, as pessoas trans não puderam comemorar muito: agora o Ministério Público Federal (MPF) de Goiás quer proteger os psicólogos que descumprirem a resolução e seguirem discriminando a transgeneridade.

Através de recurso de apelação ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), o MPF mostra sua cara reacionária às pessoas trans ao tentar bloquear as punições a quem continuar oferecendo tratamentos de conversão, reversão, readequação ou reorientação de identidade de gênero para a população T, como se suas identidades fossem doença.

Apesar de todos os rodeios verborrágicos que permeiam a Apelação (que você pode ler na íntegra aqui), o MPF de Goiás não consegue esconder a realidade do país líder de assassinatos às LGBTs, onde os psicólogos contribuem para a marginalização das pessoas trans quando disseminam ideia falaciosa de que seus tratamentos chalatônicos são capazes de “acabar com o transexualismo”.

Não se trata aqui de proteger a liberdade desses profissionais de exercerem sua função sem censura como o MPF de Goiás tenta argumentar em sua apelação. Não existe cura para quem não é doença, deixar que as clínicas sigam oferecendo tratamentos obscuros que não podem cumprir o que prometem é se aproveitar e aumentar a dor das pessoas trans, que já sofrem com o preconceito diariamente.

Precisamos nos indignar com essa tentativa descarada de proteger práticas transfóbicas que por anos tiveram o aval da visão oficial da psicologia moderna a nível mundial. Se os pequenos avanços conquistados são frutos de décadas de luta, a ação do MPF de Goiás mostra que as LGBTs não poderão descansar até, em aliança com todos os oprimidos e explorados, derrubar de forma revolucionária esse Governo Golpista, que é gerido por forças reacionárias nacionais atreladas ao imperialismo capitalista.




Tópicos relacionados

MPF   /    Homofobia e Transfobia   /    Poder Judiciário   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar