Juventude

MBL E O "PT AMERICANO" NAZISTA

MBL fala que nazista que assassinou Heyer nos EUA era do "PT americano"

Na sua página do Facebook, o MBL está esbanjando pérolas que relacionam nazismo ao socialismo, com base em notícias do tabloide defensor de Bolsonaro, Jornalivre. Não bastasse isso, conseguiram ligar o nazista que assassinou Heyes em Charlottesville, na Virgínia, e o PT brasileiro, provando que já não tem o menor senso de ridículo.

quarta-feira 16 de agosto| Edição do dia

“James Alex Fields Jr., de 20 anos, foi acusado de homicídio depois de ter atropelado um grupo de pessoas que durante os conflitos entre apoiadores e críticos do General Lee, em Charlottesville, na Virgínia. O veículo em alta velocidade causou a morte de Heather Heyer, de 32 anos, e deixou pelo menos mais 30 pessoas feridas.

O que quase nenhum site ou blog divulgou até o momento é que Fields é membro do Worker Party, o “Partido do Trabalhador” lá dos EUA. Aliás, isso faz todo o sentido. O partido nazista também foi o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores”.

É tudo o que diz a “notícia” do “jornal” de direita, que já fez defesas abertas a Bolsonaro nas suas notas, Jornalivre, a respeito dessa esdrúxula ligação entre o PT e o partido nazista do assassino de Heyer (link aqui). Além de defender a mesma posição de Trump a respeito do assassinato promovido pelos grupos supremacistas brancos nos Estados Unidos, de alguma forma responsabilizando os manifestantes contrários à sua jornada de ódio e traumática para a história humana.

"Aliás, isso faz todo o sentido. O partido nazista também foi o Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores" comenta o MBL sobre a notícia em seu post.

Ainda que derrotados pelos exércitos nortistas, a ideologia arquireacionária da elite dominante agrária despejou seu ódio contra os trabalhadores, em boa parte composto pela população negra e pobre cujos antepassados foram a massa de trabalho escrava dos fazendeiros. A Ku Klux Klan, organização supremacista branca cujo líder David Duke foi um dos convocantes da manifestação na Virgínia, é uma organização que reivindica todo o lixo ideológico do nazismo em sua trajetória de perseguição, brutalidades e assassinatos incontáveis contra a população negra. Uma das principais organizações fascistas da década de 30 nos Estados Unidos, "America First" - coincidentemente, nome que serve de mote de governo para Donald Trump - se apoiava nas "tradições" dos confederados, assim como a KKK.

A miserável corrente do MBL serve como lambe-botas dessa aberração nos EUA. Não há um pingo de tolerância contra esse tipo posicionamento. Da mesma forma que aqui no Brasil não toleramos quando o MBL defende projetos como o Escola sem Partido, que busca perseguir os professores busquem desenvolver raciocínio crítico e permitir que os alunos saibam diferenciar muito bem o socialismo e do nazismo ou de qualquer outra organização de direito que está a serviço dos empresários e não dos trabalhadores.

Não toleramos quando negam a importância das cotas raciais e defendem junto com Temer a mensalidade nas universidades públicas. Quando estão do lado das reitorias e da punição de estudantes nas escolas e universidades. Tampouco quando defendem um golpe no país e todas as reformas, do Ensino Médio, a Trabalhista, da Previdência, a terceirização irrestrita, que destroem o futuro da juventude e as condições de vida dos trabalhadores no país.

Leia também: Bolsonaro posa com bandeira fascista e depois diz que o fascismo é de esquerda




Tópicos relacionados

Nazismo   /    MBL   /    Racismo   /    Estados Unidos   /    Juventude

Comentários

Comentar