Educação

CRISE DO RIO

Liminar obriga que Estado pague servidores da UERJ junto com servidores da educação

Por meio de liminar concedida pelo juiz Alberto Nogueira Júnior, da 10ª Vara Federal do Rio na última quarta feira (31/05) os servidores da UERJ receberão seus salários junto com os professores do Estado. A ação que foi movida pela OAB tem como base o fato de que, apesar de contarem como servidores da pasta de Ciência e Tecnologias do estado, os servidores da UERJ exercem funções de ensino.

quinta-feira 1º de junho| Edição do dia

Diferente dos servidores da UERJ, os professores da rede Estadual de ensino encontram-se com os salários em dia. Os salários da Secretaria de Segurança do Estado também estão sendo garantidos em dia pelo governo de Luiz Fernando Pezão.

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro passa atualmente por uma das suas piores crises de financiamento, sofrendo como projeto de precarização que vem sendo colocado para a educação pública à sucessivos governos. No mesmo quadro, encontram-se a Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (UENZO) e a Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF) que desde o ano de 2016 não recebem as verbas de repasse do Governo do Estado.

Na ação não consta nada que diz respeito às bolsas dos cotistas e estudantes da UERJ que estão em atraso. Os estudantes, que estão em todos os campus estão sem restaurante universitário (o bandejão do campus Layra Filho – Maracanã encontra-se fechado), estão tendo que arcar com as despesas de livros, XEROX, alimentação e passagem. Na prática isso significa colocar pra milhares de estudantes cotistas e bolsistas da universidade, moradores da baixada e das periferias, que para esses alunos não haverá a possibilidade de término do período.

O governo do Estado, com a conivência da Reitoria impõe para os estudantes, da universidade referenciada por ser primeira na implementação das cotas, o abandono por falta de condições de se manter no ensino superior público.




Tópicos relacionados

#UERJResiste   /    UERJ   /    Educação   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar