Sociedade

REINTEGRAÇÃO DE POSSE

Liminar adia reintegração de posse da Vila Soma em Sumaré

sexta-feira 15 de janeiro de 2016| Edição do dia

Uma liminar concedida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandoski, com pedido feito pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo, adia reintegração de posse da Vila Soma, pois falta informações sobre locais de assentamento e poderá catalisar conflitos latentes, passando por cima de direitos fundamentais dos assentados.

Apesar dessa vitória judicial temporária, os moradores do assentamento não podem baixar sua guarda, pois no triste massacre no acampamento de Pinheirinhos em São José dos Campos, o Estado, a mando do mesmo governador Geraldo Alckmin, orquestrou um verdadeiro massacre à ocupação.

Moradores bloquearam a única rua que dá acesso à comunidade com barricadas e armados com enxada, foice e paus prometeram se defender. O clima ficou ainda pior com a chegada do policiamento na região, que só vai à comunidade para intimidar e reprimir a população local.

Desde segunda-feira, alguns moradores acamparam em frente ao prédio aonde mora a prefeita de Sumaré, Cristina Carrara (PSDB), e se acorrentaram em frente a faixada do edifício, mostrando que não estão dispostos a ceder sobre essa absurda reintegração de posse.

Mesmo com um documento da Defensoria Pública do Estado à Comissão Interamericana de Direitos Humanos e à Organização dos Estados Americanos (OEA), alertando sobre o histórico de reintegrações com abuso de violência, e mortes, feitas pelo Estado de SP, sabemos que não será suficiente para frear o plano tucano da reintegração.

Só uma ampla frente de moradores, com apoio de trabalhadores da região e suas entidades, estudantes, movimentos sociais, partidos e organizações de esquerda poderá derrotar a reintegração. O Esquerda Diário está à disposição de todos os moradores e apoiadores dessa luta para que expressem sua indignação e sua resistência.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Campinas

Comentários

Comentar