Gênero e sexualidade

PÃO E ROSAS

Lançamento do Manifesto Internacional do Pão e Rosas ocorrerá dia 31/05 na UERJ

segunda-feira 29 de maio| Edição do dia

Como parte do chamado à uma paralisação internacional de mulheres, o Pão e Rosas, lançou no último 8 de março seu Manifesto Internacional simultaneamente na Alemanha, Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Estado Espanhol, Estados Unidos, França, México, Uruguai e Venezuela através da rede internacional de diários.

O Manifesto recupera a história de luta das mulheres, reivindicando a grande Revolução Russa que há cem anos tomou o céu por assalto. Uma revolução que, apenas em poucos meses, conquistou direitos e liberdades pelos que, ainda hoje, cem anos depois, seguimos lutando em grande parte do mundo. Por isso defendemos que é necessário romper relações com os capitalistas, com seu Estado, com os partidos políticos que defendem seus interesses e com seus infiltrados na classe trabalhadora, que só servem de freio para as nossas lutas. Quer dizer, afirmamos a necessidade de independência política da classe trabalhadora e abraçamos todos os passos que se dão nesse sentido.

Nossa luta pela emancipação das mulheres é parte, também, de nossa luta para construir um partido revolucionário da classe trabalhadora – em cada país e no nível internacional –, com um programa anticapitalista, operário e revolucionário que conduza à revolução socialista para impor um governo operário que seja, por sua vez, um ponto de apoio na luta para acabar com o capitalismo e com todas as formas de exploração e opressão.

No dia 31 de maio, próxima quarta-feira, às 17h na UERJ Maracanã, acontecerá o lançamento da versão impressa do manifesto

Esse lançamento acontece após dia 24 de Maio, em que milhares de trabalhadores, mulheres e juventude estiveram ocupando Brasília contra as reformas e pelo fora Temer e tiveram que se enfrentar contra uma brutal repressão da polícia e o exército, e mesmo assim resistiram fortemente. Muitas mulheres trabalhadoras e de juventude estiveram em Brasília, e as companheiras do Pão e Rosas estiveram lado a lado com os trabalhadores.

A aprovação da lei de terceirização, que precariza ainda mais as relações de trabalho e afeta milhões de trabalhadores, a maioria mulheres negras; a reforma da previdência em curso que aumenta o tempo de contribuição e idade mínima para a aposentadoria, igualando homens e mulheres e desconsiderando a dupla jornada que afeta a ampla maioria das mulheres e a reforma trabalhista que além de um ataque aos trabalhadores de conjunto, também ataca as mulheres gestantes e lactantes, sem lhes garantir proteção à saúde da mulher ou do feto, coloca a luta das mulheres está na ordem do dia.

O dia 28 de abril mostrou que a classe trabalhadora entrou em cena contra as reformas e os ataques do golpista Temer e o dia 24 de maio mais uma vez demonstrou a força da mobilização, é fundamental neste momento que as centrais sindicais convoquem uma nova greve geral organiza desde a base para derrotar as reformas e Temer e impor uma assembléia constituinte, pois não basta mudar os jogadores, tem que mudar as regras do jogo. As mulheres precisam ser linha de frente nessa luta.

Participe no próximo dia 31 de maio, do lançamento do Manifesto do Pão e Rosas, com Desiree Carvalho, estudante de Serviço Social e coordenadora do CASS-UERJ e Rita Cardia, professora do Colégio Pedro II. Conheça e construa conosco o grupo de mulheres Pão e Rosas.

Evento na UERJ Maracanã, Rio de Janeiro, no facebook dia 31/05, quarta-feira: https://www.facebook.com/events/1899181730353073/




Tópicos relacionados

Mulher   /    Rio de Janeiro   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar