PARLAMENTARES DO PDT COM A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Kátia Abreu (PDT) vota a favor da reforma da previdência e ganha parabéns de Tábata Amaral

No Twitter não se fala de outra coisa, pois após o voto de Kátia Abreu, senadora pelo PDT, favorável à reforma da previdência Tábata Amaral, defensora ferrenha desta reforma, parabenizou-a em um Tweet emocionado.

quinta-feira 3 de outubro| Edição do dia

Ontem no plenário do senado Kátia Abreu votou a favor da reforma da previdência, os outros três senadores do PDT votaram contrários à proposta. A senadora é apenas mais um membro do PDT de Ciro Gomes a contrariar a orientação do partido e votar favorável à reforma da previdência. Porém, a senadora não teme sofrer nenhuma retaliação por parte do partido, apesar das inúmeras ameaças de expulsão aos seus deputados, como Tábata Amaral, que também votaram favoráveis à proposta.

“Não tenho medo de retaliação. Se tem uma coisa que não tenho medo é de retaliação. Tenho grande respeito pelo partido, pelo presidente [do PDT] Carlos Lupi, mas votei de acordo com a minha consciência”, declarou Kátia Abreu, senadora pelo PDT-TO.

A senadora justificou seu voto com o argumento de que o texto melhorou muito no Congresso. "Analisei a reforma ao longo dos últimos meses e ontem fiquei até às 3h em cima dela", afirmou.

O partido de Ciro mesmo com o voto favorável da senadora e de oito de seus 28 deputados segue se dizendo contra a proposta apresentada pelo governo.

Apesar das ameaças de expulsão aos que votariam a favor da reforma os oito deputados foram apenas suspensos, em julho, de suas atividades partidárias.


Tábata Amaral, uma dentre esses oito deputados, parabenizou Kátia Abreu pelo seu voto no Twitter: “Parabéns Kátia Abreu pela coragem de votar a favor de uma reforma difícil, mas urgente e necessária. Não é óbvio, nem popular, contribuir de forma construtiva e tomar decisões baseadas em evidências, sem se deixar levar pela lógica eleitoreira e pela polarização cega.”

Já o senador Irajá do PSD, filho de Kátia Abreu, votou contrário a reforma e se manifestou no seu Twitter declarando o óbvio que “esta proposta não combate privilégios e sacrifica principalmente as famílias de baixa renda!". Em outro Tweet completou dizendo que seguirá “atuando com independência, votando de acordo com o que considero ser o melhor para o povo do Tocantins".

Candidata a vice-presidência no ano passado pela candidatura de Ciro Gomes do PDT, Kátia Abreu ficou em o terceiro lugar atrás de Haddad-Manuel D’Avila e o vencedor Bolsonaro.

Ao ser perguntada se o seus posicionamento poderia gerar um desconforto junto a Ciro Gomes a senadora afirmou que não conversa muito com ele desde o fim do primeiro turno da eleição citada acima: “Olha, desde o fim das eleições, eu falei com o Ciro Gomes umas três, quatro vezes só. Acho que só nas reuniões partidárias. Ele tem o grupo político dele e eu respeito isso. Mas, não ficamos nos falando mais", demonstrando que a relação política era das mais débeis e se devia apenas e somente a uma estratégia eleitoreira.

Cid Gomes, também senador do PDT e irmão Ciro Gomes, rejeitou a reforma da previdência e disse - novamente, o óbvio que não cansamos de alardear em nossas publicações - que ela “sacrifica os trabalhadores e definitivamente não recolocará o Brasil de volta aos trilhos do crescimento".

Contudo, como Ciro Gomes deixou claro durante o período eleitoral, se ganhasse as eleições ele mesmo faria uma versão própria da reforma da previdência.




Tópicos relacionados

PDT   /    Ciro Gomes   /    Reforma da Previdência   /    Senado

Comentários

Comentar