Educação

FAÍSCA

Juventude Faísca: confira o vídeo de chamado às mobilizações da greve de 48h pela educação

Nesta semana, nos dias 2 e 3 de outubro, a Juventude Faísca presente em vários estados pelo país se soma às mobilizações da greve de 48h em defesa da educação e ciência chamada pela UNE, contra o Future-se de Bolsonaro e Weintraub que vem para destruir a universidade pública e avançar na subordinação da pesquisa e produção de conhecimento aos interesses do capital privado.

quinta-feira 3 de outubro| Edição do dia

A juventude foi um dos principais atores nacionais a se levantar contra os ataques e cortes na educação do governo Bolsonaro e a mostrar que há, sim, força e disposição para derrotar o projeto de país da extrema-direita, que avança para descarregar a crise capitalista nas costas dos trabalhadores e das novas gerações. Só nas mobilizações do 15M foram mais de 1 milhão de pessoas nas ruas em todo o país, dizendo um forte “não” ao pacote de ajustes neoliberais de Bolsonaro, Maia e o STF e à tentativa de colocar a educação como moeda de troca pela Reforma da Previdência.

Toda esta força demonstrada nas ruas poderia ter sido canalizada para se juntar ao movimento de trabalhadores na greve geral do 14J, não fosse pela política divisionista levada adiante pelo PT e PCdoB à frente da UNE e das grandes centrais sindicais como a CUT e a CTB, separando a luta da juventude da dos trabalhadores e apostando em uma impotente estratégia de oposição à extrema-direita que se restringe ao parlamento. Com isso, a aprovação da Reforma da Previdência avançou a passos largos e, nesta semana, foi aprovada em primeiro turno no Senado.

Nesta semana, nos dias 2 e 3 de outubro, a Juventude Faísca presente em vários estados pelo país se soma às mobilizações da greve de 48h em defesa da educação e ciência chamada pela UNE, contra o Future-se de Bolsonaro e Weintraub que vem para destruir a universidade pública e avançar na subordinação da pesquisa e produção de conhecimento aos interesses do capital privado. Mas sabemos que é preciso ir por mais: nos colocamos nas ruas também para exigir um plano concreto de lutas da UNE que seja capaz de organizar toda a disposição de luta dos estudantes e coloca-la a serviço de derrotar cada um dos ataques na educação e também a Reforma da Previdência que fará a juventude trabalhar até morrer, e para manifestarmos nosso ódio à extrema-direita e à política genocida e racista do Estado que assassina e rouba o futuro de milhares de Ágathas pelo país.

É preciso cercar de solidariedade e seguir o exemplo da mobilização dos estudantes das federais e sobretudo da UFSC, que estão há um mês em greve contra a privatização do ensino superior, coordenar as lutas do movimento estudantil a nível nacional para que se massifiquem e possam construir de fato uma greve geral da educação, e não apenas atos dispersos e esporádicos, mais dois “dias de luta”, como a UNE vem impondo pelo seu calendário. Não podemos esperar até 2022 até que mais ataques passem, nosso futuro não está em negociação!

Confira o vídeo de chamado aos atos da Faísca!

Horário e local das concentrações pelo país:
Natal: 2/10 em frente ao Shopping Midway. Roda de conversa da Faísca às 14h, ato às 15h
PoA: 3/10, concentração 17h30 na Esquina Democrática
RJ: 3/10, concentração 16h na Candelária
BH: 3/10. Concentração na Escola de Belas Artes da UFMG às 15h, com ônibus saindo às 16 e 17h. Concentração do ato às 18h na Praça Afonso Arinos




Comentários

Comentar