Sociedade

POR ORGANIZAR ESTUDO MARXISTA

Juiz promove censura e perseguição ideológica a professor da Federal de Ouro Preto

Em absurda ação autoritária e persecutória, inquérito policial é aberto contra professor que organiza núcleo de estudos marxistas.

quinta-feira 9 de novembro| Edição do dia

MPF requisitou a abertura de um inquérito policial contra um núcleo de estudos de marxismo na Universidade Federal de Ouro Preto, impedindo a continuidade das ações do grupo. Trata-se de um alarmante caso de perseguição ideológica e censura dentro da universidade.

A denúncia surgiu pela página Professores Antifascismo, e todos os documentos comprovando o caso podem ser visto abaixo e neste link -> https://www.facebook.com/professoresantifascismo/videos/1940867012606710/].

Desde 2009, o professor de Serviço Social da UFOP, André Luiz Monteiro Mayer, organiza um núcleo de estudos na universidade denominado “Liga dos Comunistas” - Núcleo de Estudos Marxistas. Como a própria descrição no Lattes afirma, o grupo “tem por objetivos ser um núcleo de estudo e pesquisa sobre a sociedade contemporânea, referenciado à teoria social de Marx e à produção teórica da tradição marxista. Pretende criar e consolidar um grupo de estudo, realizar pesquisas, atividades acadêmicas e publicações científicas, que rastreiem a seguinte linha de pesquisa: A sociedade na ordem conteporânea do capital’. Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.”.

Como parte de uma ofensiva autoritária e que afronta a liberdade de pensamento e a autonomia universitária, um juiz abriu pedido de inquérito policial contra o professor André Luiz por suposta prática do crime de desobediência. Trata-se de um absurdo sem tamanho, que esconde o ataque à liberdade de pensamento e práticas típicas da ditadura.

No final do mês passado, a reitoria da UFOP recebeu ofício contendo a ordem do inquérito policial, como se pode ver os documentos abaixo:




Tópicos relacionados

Universidades Federais   /    Professores Federais   /    Repressão   /    Sociedade   /    Universidade   /    Professores

Comentários

Comentar