Sociedade

REPRESSÃO

Jovens detidos ilegalmente por militar infiltrado passarão por nova audiência nessa sexta

quinta-feira 9 de novembro| Edição do dia

Em setembro de 2016, um caso escandaloso de prisão ilegal veio à tona, quando um militar infiltrado - Willian Pina Botelho - entre um grupo de jovens que iria a uma manifestação contra Temer organizou a prisão ilegal e arbitrária.

Muitos absurdos se seguiram, como a manutenção ilegal dos jovens sem comunicação por horas a fio dentro da delegacia. O próprio juiz Rodrigo Tellini de Aguirre Camargo, que os liberou na audiência de custódia, comparou a sua prisão às ações da ditadura, afirmando ser ilegal a detenção para averiguação, conforme se alegou para a prisão dos jovens.

Veja depoimento do pai de um dos jovens à porta do Fórum Criminal quando os jovens se encontravam detidos pela polícia:

E também da mãe de uma outra jovem detida ilegalmente:

O mais absurdo, contudo, é que eles seguem respondendo a processo. Dos 22 detidos, 4 eram menores de idade. Os outros 18 estão respondendo ao processo. A primeira audiência do caso ocorreu no dia 22 de setembro, e 3 policiais, testemunhas de acusação, foram ouvidos. De acordo com os jovens acusados, seus depoimentos foram contraditórios.

A segunda audiência do caso ocorrerá nessa sexta-feira, 10 de novembro as 14h no Fórum Criminal da Barra Funda. A presença de ativistas, militantes de direitos humanos e movimentos sociais, bem como todos aqueles que defendam a liberdade de expressão e se indignem com a absurda, ilegal e arbitrária prisão feita contra esses jovens, será fundamental para fortalecer a luta por sua absolvição.

Toda solidariedade aos jovens acusados ilegalmente! Se manifestar não é crime! Absolvição já!




Tópicos relacionados

Censura   /    Repressão   /    Sociedade   /    Violência Policial   /    Juventude

Comentários

Comentar