RACISMO

Jovem negro é assassinado por PM saindo do trabalho em BH

A vítima e seu amigo argumentaram que eram trabalhadores, mas os policiais disseram para calarem a boca, porque eram bandidos, e partiram para a agressão física.

quinta-feira 28 de novembro de 2019| Edição do dia

Foto: O Tempo - a mãe da vítima, inconformada

Na tarde de hoje, na Vila Pica-Pau, bairro Jardim Vitória, região nordeste de Belo Horizonte, dois jovens negros, um de 24 e um de 26 anos, estavam saindo da igreja onde trabalharam capinando e foram abordados por PMs. Argumentaram que eram trabalhadores, mostrando as roupas sujas, mas os policiais disseram para calarem a boca porque eram bandidos.

Ao insistir que eram trabalhadores, a vítima foi fortemente agredida. Nas palavras de seu amigo e testemunha, um dos policiais "deu uma banda, depois uma rasteira, daí o menino caiu e bateu a cabeça. Ele conseguiu levantar, mas o policial ajoelhou e deu um mata-leão que ele ficou roxo e desmaiou. Depois o policial veio e o arrastou. Um outro só deu um chute nele, ele suspirou, fez xixi na roupa e veio a óbito". A Unidade de Pronto Atendimento do bairro Primeiro de Maio já recebeu o rapaz sem vida.

Mais um caso que mostra o quão racista é esta instituição, que está a mando de um governador reacionário e aliado de Bolsonaro, Romeu Zema. No mês da consciência negra, não esquecemos nem perdoamos as vidas ceifadas nas pelas mãos do Estado, seja pela PMMG ou pelo exército nas ruas do RJ. Prestamos toda solidariedade à família. Este é mais um jovem que viverá em nossas lutas.




Comentários

Comentar