Negr@s

Jovem negra é atacada por Sara Winter após declarar não conseguir emprego devido ao cabelo

Uma jovem negra que foi ao programa da Fátima Bernardes, no dia de ontem (22), falar sobre a falta de oportunidade de emprego por conta do racismo estrutural da sociedade que não aceita o seu cabelo. A reacionária Sara Winter não perdeu a oportunidade de atacá-la e culpabilizar a própria pela dificuldade, "..ela não está interessada em trabalhar de verdade, mas provavelmente, meter uma ação trabalhista ou acusar um patrão de racismo".

sexta-feira 23 de fevereiro| Edição do dia

Yasmim Stevam foi ao programa de Fátima Bernardes, Encontro, para falar sobre sua dificuldade de conseguir um emprego no mercado de trabalho, por conta de seu cabelo. Yasmim, assim como diversos outros jovens negros, está com problemas de conseguir se colocar no mercado de trabalho por conta do racismo.

A convidada do programa, após ir ao ar contando as consequências do racismo em sua vida profissional, sofreu diversos ataques racistas nas redes sociais. Um dos símbolos da direita conservadora, Sara Winter, fez uma postagem atacando diretamente a jovem e reproduzindo diversas frases racistas como "Empresa é pra trabalhar não pra lacrar " ou "Para de mimimi" colocando que Yasmim não sofre racismo, ainda dizendo que a jovem deveria se portar de uma forma "adequada" e arrumar o cabelo, reproduzindo o racismo da sociedade.

A reacionária, Sara Winter, não vê como está o mercado de trabalho hoje, e reproduz o discurso da burguesia de que os negros deveriam parar de reclamar e entrar em um padrão, por exemplo cortar o cabelo, o que é uma agressão enorme aos negros e sua cultura. Hoje com a grande crise que os patrões estão nos fazendo pagar os jovens negros que já sofriam com a falta de emprego por conta do racismo estrutural, não conseguem vagas de emprego.

Ainda assim, como o governo que propagandeava "não pense em crise, trabalhe", Sara Winter quer culpabilizar a convidada e os trabalhadores pela dificuldade de conseguir emprego: "Claro que não vão contratar ela, o RH sabe que ela não está interessada em trabalhar de verdade, mas provavelmente, meter uma ação trabalhista ou acusar um patrão de racismo". Desconsiderando, além de tudo, que desde a reforma trabalhista, os trabalhadores têm que pagar pelos processos trabalhistas.

Após sofrer os ataques Yasmim publica em seu perfil do Facebook um texto onde defende a população negra contra o racismo estrutural, dizendo "Eu sou mais do que você vê, sou fruto da resistência e da luta de muitos. Sou fruto do sangue, do choro e do suor dos meus ancestrais. Sou aquela que causa desconforto aos seus olhos por estar em lugares que na teoria seriam seus."




Tópicos relacionados

Desemprego   /    Racismo   /    Negr@s   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar