Sociedade

VIOLÊNCIA POLICIAL

Jovem de 20 anos é vítima da violência policial em Cariacica, ES

Ontem, terça-feira (07), o bairro Vila Independência em Cariacica (ES), foi palco de tragédia: o jovem trabalhador de 20 anos, Chesley de Oliveira Tabach, foi morto pela assassina Polícia Militar.

quinta-feira 9 de maio| Edição do dia

Imagem: G1

Apesar dos policiais afirmarem que houve confronto enquanto patrulhavam a região, sendo surpreendidos por indivíduos que dispararam contra a guarnição, a família e os moradores contestam a versão da polícia.

Um vídeo gravado por moradores mostra o momento em que policiais militares colocaram Chesley dentro do camburão. Na gravação, uma mulher contesta a ação dos policiais e diz "ele não é lixo" e também é possível ouvir a população gritar que o homem era trabalhador.

Segundo os moradores o jovem já estava morto, e a Polícia Militar justificou que colocou o jovem na viatura para garantir o socorro. Após ser levado a PM informou que foram encontrado vestígios de pólvora na mão do jovem, o que seria um indício de que ele atirou, descreveram no B.O. que era um rapaz de camisa branca, sendo que ele vestia uma camisa azul, e na tentativa de incriminá-lo de qualquer forma, apesar do caso já ter sido resolvido na justiça, alegaram que Chesley tinha passagem por receptação, pela compra de sua moto, que aos 16 anos comprada do seu chefe, não sabia que ela era roubada.

A família e os moradores acreditam que o jovem foi levado já morto para que os policiais alterassem a cena do crime. Visto que na versão dos policiais o jovem estava acompanhado na moto e estaria armado, quando o pai de Cheslley afirma que o filho voltava para casa sozinho e que não estava armado. Os moradores confirmaram que viram o jovem sozinho, que era trabalhador e não tinha envolvimento com crime.

Outro morador diz que "o moleque trabalha fazendo cordão, vendendo cordão, vende canga, capinha de celular. O que eu fiquei sabendo é que foi uma perseguição e quando mandaram ele levantar o capacete deram na cabeça dele". Os policiais prestaram depoimentos e tiveram as armas apreendidas.

Indignados, moradores fecharam a Rodovia do Contorno, em Cariacica, ontem (08) às 7h40. A PM reprimiu e enfrentou os manifestantes com a viatura, avançando em cima dos moradores, e com bombas.

Mais uma vez a polícia cumpre seu papel assassino no cotidiano da juventude negra e pobre, levando à morte de um jovem trabalhador e querido pela família e moradores.

Isso nos mostra que o capitalismo nunca vai oferecer uma vida digna ao povo negro, no capitalismo, crianças, jovens e trabalhadores negros e pobres, vão morrer, é disso que o capitalismo se fortalece e desumaniza nossas vidas cotidianamente. E com esse “pacote anticrime” proposto por Moro que é uma marca do autoritarismo judiciário e dos “efeitos da Lava Jato” no Executivo, que está de acordo com a base bolsonarista mais reacionária, num país onde a polícia e as forças repressivas do Estado já matam milhares por ano, a concessão de que possam matar impunemente escancara que o governo, longe de defender os “direitos humanos”, quer ampliar o assassinato da população negra, trabalhadora e pobre pelas mãos do Estado.

Que toda mortes cometidas pela polícia sejam julgadas a júri popular. Basta de mortes ao povo negro e pobre, basta de naturalizar esse cotidiano violento, merecemos viver uma vida digna em uma sociedade livre de opressões e de classe.




Tópicos relacionados

Estado Policial   /    Corrupção Policial   /    Sociedade   /    violência policial

Comentários

Comentar