Jogadores da NBA e artista exigem justiça a George Floyd em coletiva

Na tarde de sexta-feira, o ex-NBA Stephen Jackson se reuniu com o ator Jamie Foxx e outros jogadores em uma coletiva de imprensa na qual expressaram seu repúdio ao assassinato racista de George Floyd. Diante das crescentes revoltas pelo país, ressurge o movimento Black Lives Matter e a necessidade de uma saída independente para o racismo estrutural

sábado 30 de maio| Edição do dia

Ontem, Stephen Jackson, Foxx, Karl-Anthony Towns e JR Smith se reuniram em uma coletiva em Minneapolis, condenando o assassinato de George Floyd, cometido por Derick Chauvin, um policial supremacista.

O assassinato de George foi gravado. Nas cenas, Dereck Chauvin pressiona seu joelho sobre o pescoço de Floyd durante 10 minutos, mesmo com o homem dizendo que não podia respirar. Além Chauvin, havia outros policiais no local que possibilitaram que George Floyd fosse assassinado.

A morte de George exibe o caráter racista da instituição policial e da burguesia americana que promovem uma série de assassinatos contra os negros e os trabalhadores. Diante disso, nos últimos dias aconteceram diversas revoltas populares exigindo justiça a George e aos demais casos de assassinatos cometidos pela polícia, indicando o ressurgimento do movimento Black Lives Matter

Durante a coletiva, Stephen, que era amigo de Floyd há 20 anos declarou : "Não me diga que ele [Chauvin] não sentia que era o dever dele assassinar meu irmão [Floyd] e sair livre com isso. Nós vimos isso tantas vezes, tantas vezes, e vemos agora de novo e queremos justiça". Além dele, outros atletas se mobilizaram frente a ação racismo da polícia, como LeBron James e Allyson Felix, expressando seu repúdio ao assassinato.

O assassinato de George Floyd de João Pedro e outras pessoas negras, representam o racismo estatal e estrutural, ao passo que expressam a necessidade de conformação de comissões independentes para a investigação de seus assassinatos, sem confiança em instituições racistas.

Como resposta a esse crime brutal, surgiram mobilizações da população exigindo justiça. Esse movimento tem se nacionalizado e traz consigo um profundo questionamento do regime atual, que passa por uma profunda crise econômica e social, que tem afetado, principalmente, a vida da população negra.

Nesse marco, diante do agravamento da crise e do cenário de depressão econômica, a luta contra as opressões, passa por combater esse sistema, que se baseia na miséria e na exploração. Concomitante às mobilizações por George, que estão se nacionalizando, setores da classe trabalhadora estão se levantando pelo mesmo motivo e também contra as precárias condições de trabalho nas quais estão sendo submetidos.

Se unificadas as mobilizações que estão acontecendo, é possível construir uma ampla mobilização para golpear efetivamente o racismo estatal e responder a crise atual que tem matado diariamente milhares de pessoas. Isso faz com que os sindicatos (se cumprirem seu papel de ferramenta de organização dos trabalhadores) impulsionem desde as bases a construção de uma frente ampla, baseada em uma programa de independência de classe.

Leia aqui a declaração da Fração Trotskista - Quarta Internacional sobre o assassinato de George Floyd




Tópicos relacionados

Justiça para George Floyd   /    George Floyd   /    Black Lives Matter   /    Racismo   /    Racismo EUA   /    Estados Unidos

Comentários

Comentar