CRIVELLA

Investindo em Blocódromo falido, Crivella atrasa salário de servidores

Enquanto faltam remédios nos hospitais e servidores tiveram salário atrasado pelo novo calendário de pagamento da prefeitura, Crivella decidiu que gastará R$ 3,3 milhões com o falido Blocódromo na Barra da Tijuca.

Carolina Cacau

Foi candidata a vereadora do MRT pelo PSOL em 2016, é estudante da UERJ e professora da rede estadual.

quinta-feira 8 de fevereiro| Edição do dia

Em meio ao Carnaval, os servidores da Prefeitura do Rio de Janeiro estão ainda sem receber, tudo por decisão do bispo-licenciado-prefeito Crivella, que pela primeira vez em décadas fez com que os servidores municipais não recebam mais no primeiro dia útil do mês, e sim no dia 10, segundo calendário anunciado em dezembro pelo parente de Edir Macedo da Igreja Universal.

Falta de verbas? Não, na verdade. Crivella tem a ambição de lançar o falido "Blocódromo" na Barra da Tijuca, com orçamento previsto de R$ 3,3 milhões de reais destinados a levar adiante parte do seu plano de segregar os Blocos de Rua do Carnaval do Rio.

Leia mais: Crivella não paga servidores, corta vale-natal e tira férias de final de ano nos EUA

Servidores terão que torcer para que os bancos abram nesta segunda-feira (11), para então poder receber já em meio ao Carnaval. Mostra de que a prefeitura, com relação à esta festa popular, se preocupa muito mais com os turistas do que com a população do Rio. Isso só enquanto não consegue segregar o Carnaval de rua na Barra, com seu, até então, falido Blocódromo que só funcionará em julho.

Esta política é parte do aumento dos ataques por parte do prefeito contra os trabalhadores, como foi no início deste ano quando a Polícia Militar reprimiu brutalmente a manifestação de médicos e trabalhadores da saúde da prefeitura exigindo receber seus pagamentos atrasados.

Da mesma forma, Crivella vetou a lei que prioriza pagamento de servidore ainda em janeiro, enquanto seu secretário preparava uma negociata com as mafias do transporte, garantindo o aumento da passagem do Ônibus para R$ 3,60.

Dinheiro para pagar os servidores nós certamente encontraremos nos altíssimos salários dos políticos da prefeitura do Rio, seus assessores, incluindo parentes e políticos indicados para os cargos da prefeitura. Todos eles deveriam receber o mesmo salário de uma professora. Ao mesmo tempo em que o dinheiro da prefeitura também vai para beneficiar os capitalistas e a iniciativa privada, com benesses e isenções fiscais, aí está o dinheiro para pagar os servidores no primeiro dia útil! Crivella disse que ia "cuidar das pessoas", e está cuidando... das "pessoas dele", por isso estes políticos também deveriam ser revogáveis à qualquer momento, por aqueles que os elegeram.




Tópicos relacionados

Carnaval 2018   /    Servidores Públicos   /    Marcelo Crivella   /    Educação   /    Saúde   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar