Cultura

MULHERES NEGRAS 2016

Identidade negra e a importância da cultura do cabelo na escola

Vanessa Oliveira

Professora do ABC

segunda-feira 25 de julho de 2016| Edição do dia

Ao pensarmos na identidade negra, é inegável o quando as questões de corporeidade e estética são importantes, a menina negra ao se deparar com um perfil que não é “ideal” pela sociedade acaba modificando seu cabelo, seu jeito de vestir, e muitas vezes escondendo até sua religião por medo de retaliação.
Os comportamentos sociais estabelecem valores morais que são ditados pela cultura branca brasileira, e fazem muitas negras se adaptarem a eles, para obter o reconhecimento e o pertencimento social tão desejado. Na escola as meninas buscam essa integração social por meio da aparência física, numa tentativa de amenizar a negatividade posta às negras durante toda nossa história.
O cabelo é algo muito importante para as mulheres, o nosso corpo é uma linguagem e a cultura utiliza do cabelo como forma de comunicação, esse caráter peculiar dado ao cabelo atribui a ele um símbolo identitário, no caso das negras, esses símbolos sempre foram depreciados pela sociedade brasileira.

Quantas de nós negras já ouvimos comentários do tipo: Cabelo Rastafari fede! Cabelo duro não entra nem pente! Nossa se pegar piolho raspa careca! É melhor alisar, dá menos trabalho e é mais bonito! Quantas piadas, ofensas são proferidas as negras, devido ao seu cabelo e ferem brutalmente sua constituição como sujeita na sociedade.

No período escolar essas mudanças de aparência são ainda mais fortes, pois na escola raramente as negras têm alguém que as represente, contamos com poucas professoras negras emponderadas e com um material didático que atribui à mulher branca o ideal de beleza sempre.

A escola como espaço socializador e formador deveria ser local onde as singularidades e subjetividades fossem compartilhadas e respeitadas para fortalecer a formação social de cada indivíduo. Porém sabemos que no capitalismo a reprodução do padrão dominante prevalece e favorece apenas um lado da moeda.
Você já parou pra pensar porque a cultura do cabelo crespo é algo que incomoda tanto a sociedade?

Mesmo diante de toda diáspora negra, o cabelo ainda é um dos principais sinais de resistência e luta na constituição do povo negro. A cultura do cabelo para as negras remete a toda sua história de opressão. A ressignificação da identidade negra por meio do cabelo, é algo que fere diretamente o padrão normativo social branco, pois quando damos destaque as questões estéticas negras, não são apenas as aparências que estão em jogo, mas todo um processo histórico de luta contra quem nos oprime.

Nós negras devemos nos fortalecer através dessa cultura rica de significados e que contribui para nosso reconhecimento e pertencimento social dentro desse sistema opressor, o cabelo na cultura negra não deve ser considerado como algo que está na moda, ele é sinal de luta e resistência. Nosso cabelo também é um ato político.




Tópicos relacionados

Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha 2016   /    Cultura   /    Negr@s

Comentários

Comentar