Cultura

HOMENAGEM

Homenagem a seu Luís do MST: "Que chorem as mortes calados?"

Ontem, dia 18 de julho, um homem avançou com carro contra manifestantes do MST e matou seu Luís, em Valinhos. Prestamos aqui nossa homenagem, com um poema.

sábado 20 de julho| Edição do dia

Imagem MST

Que chorem as mortes calados?

- Para seu Luís

Em algum país africano

que não me recordo nome

pois não se fala de nomes

quando se fala de África,

morreu uma vendedora de peixes,

ela também sem nome,

nem mesmo o primeiro nome,

morreu de ebola.

As autoridades orientam que a população evite tocar nos cadáveres

E cantar

E dançar

Em volta dos mortos

Como é de costume na região.

Que chorem as mortes calados.

No Brasil, em São Paulo

Seu Luís, eu sei o teu nome,

Eu queria saber da tua história

Da tua luta,

Das sementes que o senhor distribuía na manifestação,

Do aluno assíduo

Que aos 72 anos

Aprendia a ler.

A tua morte me doeu.

As autoridades

estão apurando o caso

De seu Luís

Da Marielle

Do mestre Moa...

Mas a balança da justiça

Nunca pesa o que devia.

É por isso que eu não quero chorar em silêncio

Eu quero a sua morte cantada

E eu quero em canto de guerra.




Tópicos relacionados

MST   /    Poesia   /    Cultura

Comentários

Comentar