Sociedade

TRAGÉDIA DE MARIANA

Há dois anos da Tragédia em Mariana apenas uma audiência está marcada para acontecer

Flavia Valle

Professora, Minas Gerais

terça-feira 14 de novembro| Edição do dia

Há dois anos da maior tragédia sócio ambiental do país é tratada pela justiça com os ritmos que querem os empresários e capitalistas envolvidos: a passos lentos para seguir a impunidade.

Isso porque depois da Justiça Federal ter suspendido a ação criminal que acusa a mineradora Samarco, apenas uma nova audiência foi marcada.
A justiça Federal de Ponte Nova, em MInas Gerais, marcou para o dia 27 de novembro uma audiência de organização do processo. O próximo passo do julgamento, porém, pode levar outros anos.

Veja também:

"Dois anos da lama da Samarco: a morte dos sonhos e o reino da impunidade no capitalismo"

"Justiça prepara a absolvição da Samarco pelo crime ambiental de Mariana"

A justiça acatou parcialmente pedidos da defesa da gigantes da mineração para não serem validadas provas apresentadas pelo Ministério Público, com argumento de que teria havia invasão de privacidade. O cinismo da defesa, que alegou invasão de privacidade de uma empresa bilionária como a Samarco, mostra como a Justiça é uma via da classe dominante impor sua vontade.

Mesmo garantindo todas as liberdades individuais, é revoltante o impedimento do desenrolar como vem fazendo a defesa das empresas com a conivência da justiça. Isso porque a Tragédia em Mariana não foi uma fatalidade e sim um crime em nome do lucro das grandes mineradoras, que apesar de todos os avisos sobre a possibilidade do rompimento da barragem seguiu com sua sede de lucro.

E assim hoje a Samarco apenas lucra em um único mês mais do que a multa que a justiça não quer cobrar da empresa e segue a impunidade sequer o confisco dos bens dos empresários envolvidos.
A impunidade segue, favorecendo os empresários da Vale, Samarco, BHP e VogBr, sendo a justiça a fiel escudeira desses capitalistas.




Tópicos relacionados

Tragédia Mariana   /    Sociedade

Comentários

Comentar