Gênero e sexualidade

LEGALIZAÇÃO DO ABORTO

Grupo Pão e Rosas leva debate sobre aborto para a Faculdade de Saúde Pública da USP

No dia 06.08.18, o Grupo de Mulheres Pão e Rosas realizou uma Roda de Conversa na Faculdade de Saúde Pública da USP, e reforçou o chamado para o ato que ocorrerá amanhã dia 08.08, para trazer a “Maré Verde” da luta pela legalização do aborto que está ocorrendo na Argentina.

terça-feira 7 de agosto| Edição do dia

Sobre o tema do aborto foi dito que a legalização é urgente. Rafaella Marino, estudante de Saúde Pública fez uma abertura em que ressaltou a importância da luta das mulheres argentinas, bem como apresentou dados da OMS sobre o aborto ter crescido recentemente na América Latina.

Na Argentina, as mulheres conseguiram legalizar o aborto na Câmara de Deputados, contudo o Senado como um juíz arbitrário pode derrotar essa grande conquista vetando a proposta. Além disso, também foi colocado que o aborto é uma questão de saúde pública, pois 4 mulheres morrem por dia por abortos clandestinos no Brasil.

Rafaella também colocou que nos 13 anos do governo do PT, as mulheres continuaram morrendo por abortos clandestinos, pois os deputados do PT junto com Lula e Dilma, não abriram mão dos acordos com a bancada evangélica e os setores mais atrasados do país.

A incidência de aborto é mais recorrente entre as mulheres que ganham até um salário mínimo, o que faz com que automaticamente sejam as mulheres negras e indígenas as mais afetadas por abortos clandestinos, e consequentemente morrendo. Keyth Costa, estudante de Letras ressaltou a importância de um feminismo classista.

Sobre isso, foi ressaltado que a luta das mulheres não é uma luta individual e mesmo que a burguesia tente cooptar a nossa luta, não nos pautamos apenas pela ideia de empoderamento, pois não somos mulheres empoderadas para usar produtos de beleza como a Avon propõe.

Somos mulheres insurretas, sujeitas de nossas vidas e lutaremos ao lado da classe trabalhadora, uma vez que somos metade do contingente da classe operária. Os companheiros homens estão lado a lado na nossa luta cotidiana e juntos conseguiremos arrancar não só o direito ao aborto legal, seguro e gratuito, como também poderemos caminhar para uma transformação total da realidade.

Por fim, foi feito um chamado a todos ao ato que ocorrerá amanhã em frente ao Consulado na Argentina na Paulista, para apoiar a luta das argentinas e fazer como elas trazendo a pauta da legalização do aborto para o Brasil, e impulsionando a luta pela demanda das mulheres e de toda a classe trabalhadora.




Tópicos relacionados

Pão e Rosas   /    FEUSP   /    Mulheres   /    USP   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar