Educação

NORDESTE

Greve da educação em Camaçari, na Bahia, atinge um mês

sexta-feira 1º de setembro| Edição do dia

Nesta quinta-feira (31) completou-se um mês da greve das professores e professores da rede municipal de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. Após o governo municipal não reajustar os salários dos trabalhadores, professores se mantém em greve resistindo à ataques.

Prefeito do DEM, Elinaldo Araújo, não concedeu reajuste salarial aos professores, e educadores estão em greve pelo reajuste, cumprimento da Lei do Piso Nacional e melhorias nas precárias condições de trabalho e infraestrutura das escolas.

Depois de diversas assembleias e mais de 7 paralisações, os professores no dia 10 de agosto decidiram pela greve e inclusive ao boicote dos desfiles cívicos que iriam acontecer nesse ano. Com uma campanha da diretoria de ensino, de um radialista da Sucesso FM e da rede globo que tenta jogar a culpa da falta de aula aos professores, incentivando pais e alunos a irem contra uma greve que luta pela melhora da educação e de condições de trabalho dos professores.

Apesar dos ataques da mídia e da diretoria de ensino, os professores seguem firme na luta. Todo apoio à greve da educação em Camaçari (BA)!




Tópicos relacionados

Nordeste   /    Educação   /    Professores   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar