Mundo Operário

GREVE

Grande ato petroleiro no RJ marca o dia 13 da greve nacional

Tomada por uniformes laranjas a Avenida Rio Branco foi palco de importante ato da categoria em seu 13o dia de greve.

sexta-feira 14 de fevereiro| Edição do dia

Na tarde de 13 de fevereiro ocorreu um grande ato da greve dos petroleiros no Rio de Janeiro, que reuniu alguns milhares de trabalhadores em luta. Os petroleiros completaram 13 dias de greve, tendo paralisado mais de 113 unidades de trabalho pelo país. Sua principal demanda é contra a demissão de 1000 trabalhadores da Fafen, no Paraná, muitos dos quais são terceirizados, mas também protestam contra uma série de ataques a seus direitos.

Na manifestação de hoje, as ruas do centro da cidade do Rio de Janeiro ficaram tomadas por petroleiros de diversas unidades do Rio de Janeiro, em um amplo ato composto praticamente somente por trabalhadores da Petrobras. A força dos petroleiros, além de parar unidades, mas em grandes números cobrindo a Avenida Rio Branco com seus uniformes laranja expressa a disposição da categoria que protagoniza a primeira grande greve durante o governo Bolsonaro. Na manifestação via-se petroleiros de diversas plataformas de extração de petróleo, da REDUC, do COMPERJ, do CENPES, do TABG, do TECAM e de várias outras unidades em greve.

Reconhecer tantas unidades e tantos uniformes laranja deu grande ânimo aos presentes, trata-se de mais uma demonstração para a própria categoria de sua própria força.

A grande mídia, como sempre tem feito nesta greve, escondeu a importante manifestação. Esconder a greve petroleira, contra as demissões e que oferece um desafio às privatizações é um desafio as posições de toda a mídia, bolsonarista ou “opositora” nos costumes mas não na entrega dos recursos ao imperialismo ou na Reforma da Previdência.

Por outro lado, apesar da demonstração de força da categoria, uma Avenida Rio Branco que estava com tantos crachás verdes e uniformes laranjas mostra não somente a disposição dos petroleiros mas também o pouco apoio que as grandes centrais, como a CUT e CTB tem dado a categoria. O ato no Rio de Janeiro, para além da categoria em greve, foi convocado da noite para o dia, e próprio evento de facebook (algo cada vez mais relevante nos dias de hoje) foi feito no dia anterior.


Um ato que reunisse diversas categorias de trabalhadores hoje seria de grande importância para fortalecer a greve dos petroleiros e contribuir com sua vitória. É fundamental que professores, trabalhadores da saúde, que no Rio de Janeiro também enfrentam demissões, os Correios e outras categoria, adiantem seus calendários de manifestação e greves para apoiar os petroleiros. Uma luta unificada poderia arrancar a vitória contra Bolsonaro, transformando-se em um marco nacional. Para isso é urgente que as grandes centrais sindicais convoquem – e construam efetivamente, e não como visto no Rio hoje- imediatamente atos nas cidades em apoio a luta dos petroleiros. Como desenvolvido em artigo destacado publicado hoje: “CUT e CTB e esquerda precisam convocar atos de apoio a greve dos petroleiros em todo país

Com sua greve os petroleiros estão desafiando um dos principais objetivos de Bolsonaro e Paulo Guedes: entregar a Petrobras ao imperialismo, através das privatizações desta importante riqueza nacional. Bolsonaro tem o plano de privatizar 8 refinarias, e entregar o pré-sal, que poderia, se fosse 100% estatal e administrado democraticamente pelos petroleiros com controle popular, render ao país dinheiro para Saúde, Educação e financiar um plano de obras públicas para garantir trabalho à população, além de garantir combustíveis baratos.

O Esquerda Diário, e a juventude Faísca, estão desde o início da greve colocando todas as suas forças na perspectiva de contribuir a vitória da greve dos petroleiros, pois entende que uma vitória dos petroleiros é uma vitória de toda a classe trabalhadora e da juventude do país. Neste ato estivemos presentes, levando nosso apoio, difundindo o ato com uma transmissão ao vivo, bem como distribuindo centenas de cartazes com a consigna “não às demissões, à privatização e à entrega da Petrobras” e “6 propostas para fortalecer a greve dos petroleiros.

Veja abaixo o vídeo com a transmissão ao vivo feita direto do ato:
https://www.facebook.com/esquerdadiario/videos/147806066277866/

Durante o ato militantes do Esquerda Diário reforçaram esse chamado a que as centrais sindicais e a esquerda convoquem esses atos em apoio para que a greve petroleira vença:




Tópicos relacionados

Greve dos Petroleiros   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar