Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Governo continua a manter blindagem sobre dados da Reforma da Previdência

Ontem, segunda (22), o Ministério da Economia se negou mais uma vez a revelar pareceres e estudos técnicos que foram usados como base para o texto da Reforma da Previdência.

terça-feira 23 de abril| Edição do dia

Foto: EBC / Arte Unicamp

Ontem, segunda (22), o Ministério da Economia se negou mais uma vez a revelar pareceres e estudos técnicos que foram usados como base para o texto da Reforma da Previdência.

Essa negativa partiu da segunda tentativa do jornal Folha de São Paulo para conseguir acesso às informações, com base na Lei de Acesso à Informação (LAI). O argumento é que “a consulta dos documentos é restrita para servidores públicos e autoridades devidamente autorizados”, como noticiou matéria online do jornal.

E, na verdade, o governo decretou sigilo das informações no domingo (21). O decreto se baseia na LAI para dizer que esses pareceres e estudos técnicos são documentos formais preparatórios para a “tomada de decisão ou de ato administrativo”.

O objetivo do sigilo é esconder o rombo que os empresários têm na Previdência e que, na verdade, quem deveria pagar a crise são eles, não as nossas aposentadorias. Será R$1,16 trilhão retirado da aposentadoria em 10 anos, para não afetar o lucro de banqueiros e empresários estrangeiros, que se aproveitam da dívida pública paga com nossos impostos para fazer sangrar nossos recursos naturais.

A preocupação maior é fazer tramitar a proposta de reforma que irá fazer os brasileiros trabalharem até morrer sem possibilidade de resposta dos trabalhadores e dos jovens, negando o acesso à informação e ao escancaramento dessa sangria.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Política

Comentários

Comentar