Cultura

CENSURA NO GOVERNO WITZEL

Governo Witzel censura performance que critica a tortura na ditadura e artistas reagem

Artistas convocam hoje, segunda (14), as 18h em frente a Casa França-Brasil para apresentação de performance que critica a tortura na ditadura e foi censurada pelo governo Witzel.

segunda-feira 14 de janeiro| Edição do dia

Obra ’A voz do ralo é a voz de Deus. Foto: Divulgação

Já é a segunda vez que a exposição “Literatura Exposta” na Casa França-Brasil é censurada desde seu início. Na primeira vez a direção do museu impediu que os artistas usassem a voz de Bolsonaro numa instalação chamada “A voz do ralo é a voz de Deus”, composta por milhares de baratas de plástico saindo do ralo junto com as frases absurdas do então presidente eleito. Desta vez foi o governo Witzel que proibiu a apresentação do coletivo És Uma Maluca, que critica a ditadura e seus anos de tortura, cancelando o último dia da exposição.

A alegação da Secretaria de Cultura do Estado do Rio e do próprio governador Wilson Witzel, que repetiu as palavras do secretário Ruan Lira, é de que se tratou de um descumprimento de contrato, já que, segundo alegam, a programação do último dia não estava previamente avisada. A curadoria da exposição não apenas declara que todo o cronograma já estava planejado junto a Casa França-Brasil, como questiona o estranho fato de que o conteúdo de uma obra tenha que ser “autorizado” pelo governo para ser exposto em espaço público.

Em declaração nas redes sociais o curador da exposição, Álvaro Figueiredo, deixou claro seu repúdio à censura :

"Censura à exposição Literatura Exposta! Fecharam nossa exposição um dia antes da data oficial como forma de impedir que as performances da finissage acontecessem. Comuniquei com antecedência o teor das performances à direção da Casa, foi autorizado e ontem à noite enviaram esse comunicado. Esse é o governo que temos. A arte vai sobreviver aos ignorantes".

Em declarações ao Globo, Álvaro continuou a crítica:

“O que a gente pode entender disso? É um absurdo. Como isso chegou ao governador, e por que ele está preocupado com uma exposição na Casa França-Brasil? Pra mim isso é uma censura, não posso entender de outra forma. Se isso foi comunicado antes, por que mudaram de ideia agora? Deram isso para um advogado e ele disse que não podia? Se me provarem isso, tudo bem, mas é tudo muito estranho.”

Nós do Esquerda Diário nos somamos ao repúdio à censura, a luta contra esses governos de ultra direita e reforçamos o chamado dos artistas e do coletivo És Uma Maluca que convocam para apresentação da performance na rua hoje, segunda (14) às 18h em frente à Casa França-Brasil: "Não vamos nos calar. Este trabalho é apenas o início de um processo que terá muitos desdobramentos e ações. Vamos realizar a performance na rua".




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Wilson Witzel   /    Tortura na Ditadura Militar   /    Censura   /    Arte de Rua   /    Jair Bolsonaro   /    Arte   /    Rio de Janeiro   /    Cultura

Comentários

Comentar