Internacional

GOLPE NA BOLÍVIA

Golpe na Bolívia: em uma manobra da oposição, Jeanine Añez se proclama presidente provisória

A senadora da oposição assumiu a presidência em um Senado semi-vazio e em meio a mobilizações em La Paz. Morales disse que "o golpe foi consumado".

quarta-feira 13 de novembro| Edição do dia

Na tarde de terça-feira, a senadora da oposição Jeanine Añez se declarou "presidente provisória" da Bolívia. Ele fez isso em uma sala da Câmara dos Senadores semi-vazia, devido à ausência dos parlamentares do MAS que solicitaram garantias de reunião.

O incidente ocorre no mesmo dia em que Evo Morales chegou ao México, onde pediu asilo, depois de renunciar no meio de um golpe de estado civil, policial e militar.

Em uma manobra fraudulenta e no Senado sem quorum, Añez citou o artigo 169 da Constituição boliviana para proclamar-se presidente. Em seu discurso, ela disse que as "novas eleições" na Bolívia ocorrerão após a nomeação do novo Tribunal Eleitoral.

Ele então fez um discurso nos degraus do Senado, onde agradeceu à polícia, às Forças Armadas e à Igreja. Mais tarde, ela fez isso na varanda do Palácio do Governo, cercado por algumas das referências do golpismo nas últimas semanas, como o líder do Comitê Cívico de Cruceño, Luis Fernando Camacho. Com uma Bíblia na mão, disse "nossa força é Deus" e cantou com seus seguidores "Sim, poderia".

Tradução: "A Bíblia retorna ao palácio", diz Jeanine Áñez. A senadora, que se declarou presidente da #Bolivia, foi ao antigo Palácio do Governo levantando uma Bíblia

Um dos primeiros a parabenizá-la foi o ex-candidato à presidência e impulsionador do golpe, Carlos Mesa.

Tradução: Parabenizo a nova Presidente Constitucional da Bolívia Jeanine Añez. Nosso país se consolida com sua posse, sua vocação democrática e a coragem de uma ação popular legítima, pacífica e heroica. Todo o sucesso no desafio que você enfrenta. Viva a pátria!!!!!

O mesmo fez o líder da direita golpista de Santa Cruz, Luis Fernando Camacho, que disse que suspenderá suas medidas a partir da meia-noite.

Tradução:"Temos uma nova presidenta, a greve é suspensa à meia-noite", diz o presidente do Comitê Pro Santa Cruz, Luis Fernando Camacho.

A manobra de fato ocorre no meio de importantes mobilizações que chegaram de El Alto a La Paz. Alguns minutos após a "autoproclamação", as forças repressivas começaram a avançar sobre os manifestantes.

Evo Morales, o presidente deposto que solicitou asilo no México, denunciou que "o golpe foi consumado".

Tradução: O golpe mais astuto e nefasto da história foi consumado. Uma senadora de direita golpeia a si mesma como presidente do senado e depois presidente interina da Bolívia sem um quorum legislativo, cercada por um grupo de cúmplices e liderada pelas forças armadas e pela polícia que reprimem o povo.

Assim que as notícias foram divulgadas, as principais referências da Frente de Izquierda repudiaram os fatos.

Tradução: Não se pode reconhecer a "presidência" de fato de Añez escolhida a dedo pelos golpistas. Todo o nosso apoio à resistência do povo boliviano contra o #GolpeDeEstadoEnBolivia

Tradução: Não se pode reconhecer uma presidência definida pelos golpistas. Apoiamos a resistência do povo. Não se deve permitir que o golpe seja aceito. #Bolívia

Durante esta terça-feira, ocorreram mobilizações maciças de setores populares e vizinhos de El Alto. Milhares marcharam até La Paz para exigir respeito por suas conquistas ganhas com sua luta e em repúdio a uma oposição que mostra o que é, quando queimou a wiphala em uma clara demonstração de racismo.

Milhares de pessoas que chegaram e cercaram as seis entradas da praça Murillo, o centro político do país, finalmente instalando uma vigília para pedir ao congresso que lesse suas demandas, entre as quais a renúncia de Camacho, Mesa e também a recente autoproclamada presidenta Añez. No momento em que escrevemos essa nota, uma repressão brutal contra a vigília instalada na capital começa a ser desencadeada.




Tópicos relacionados

Golpe de Estado Bolívia   /    Bolívia   /    Internacional

Comentários

Comentar