Política

CORREIOS

Garoto propaganda da privatização dos Correios também é campeão de Caixa 2

O atual ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), o mesmo que quer demitir e atacar direitos nos Correios, é o ministro do governo golpista que lidera as doações em caixa 2, com R$20 milhões, segundo a Odebrecht.

quarta-feira 19 de abril de 2017| Edição do dia

Sem jamais nos iludirmos com a operação Lava Jato, não podemos ignorar o conteúdo das acusações e as contradições que se tornam explícitas. Dentre a longa lista de nomes do alto escalão do governo e dos partidos da ordem citados nas delações, Kassab se destaca por ter sido a aposta da Odebrecht por algo de “novo”na política, frente ao desgaste dos grandes partidos.

Com o intuito de garantir seus interesses, a empreiteira teria investido em Kassab primeiramente enquanto ocupava o cargo de Prefeito de São Paulo, mantendo assim seus lucrativos contratos com a prefeitura.

Posteriormente a empresa teria financiado a criação e a consolidação de seu “novo” partido, o PSD, o que também escancara mais uma vez o caráter reacionário e antidemocrático do sistema político brasileiro. Enquanto para os trabalhadores, os setores oprimidos e a esquerda de modo geral, para participar minimamente do jogo eleitoral são impostas mil barreiras, os partidos burgueses como o PSD podem simplesmente comprar o processo. Ainda de acordo com a delação, somente para legalizar o partido a Odebrecht teria doado R$17,9 milhões. Importante lembrar também que o mesmo PSD é acusado, na pessoa de Guilherme Campos, presidente dos Correios, de falsificar assinaturas para garantir sua legalização.

Finalmente, no período em que foi ministro das Cidades, no governo Dilma, Kassab teria favorecido a empreiteira nas obras de infraestrutura, que estavam sob sua alçada.

Também podemos lembrar que no final de 2016, já enquanto ministro do governo ilegítimo de Temer, Kassab ajudou a salvar as empresas de telefonia em crise, com doação de R$100 bilhões.

Não sabemos até onde seguirá a Lava Jato em relação a figura especifica de Kassab, quanto dessas acusações serão investigadas e provadas ou não, e a troco de que, mas o que mais chama a atenção é o quanto essa figura, típica no nosso regime político, de uma pessoa e de um partido que vive do fisiologismo, das trocas de favores entre políticos e empresários, com essa moral, é a mesma figura que pode tomar a frente ataques profundos a classe trabalhadora brasileira como os que estão em jogo agora com os ataques de Kassab e seu parceiro Guilherme Campos na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, onde estão ameaçando cortar o convênio médico, demitir 25 mil pessoas e seguem chantageando com a possibilidade de privatização.

Por tudo isso se avizinha a possibilidade de uma forte greve nos Correios, de enfrentamento a esses duros ataques, e defesa da empresa pública, de qualidade e a serviço da população, prevista para se iniciar nacionalmente no dia 26 de abril. E é fundamental o apoio de outras categorias e da população como um todo nessa batalha contra Kassab e Guilherme Campos, mas igualmente fundamental a participação dos ecetistas junto aos demais trabalhadores e a população no dia 28 marcando o enfrentamento ao governo Temer.

Mais do que isso, precisamos avançar na construção de uma forte greve geral com organização na base para unificar a classe trabalhadora e combater os ataques como as reformas trabalhista, da Previdência e o governo Temer e seus ministros corruptos de conjunto, colocando os trabalhadores como sujeitos para solucionar a crise no país, para que esta seja paga pelos capitalistas!




Tópicos relacionados

Kassab   /    Caixa 2   /    Correios   /    Política   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar