Política

ELEIÇÕES ARGENTINAS

Gari argentino obtém mais de 40 mil votos e vai disputar como deputado da esquerda

A campanha de Alejandro Vilca gerou um impacto enorme, tanto pelas ideias e propostas do trabalhador, como pelos resultados eleitorais que o situaram como a terceira força em Salvador, Jujuy.

segunda-feira 14 de agosto| Edição do dia

Isso ocorreu durante as PASO de 2017 (Primárias Abertas Simultâneas e Obrigatórias) que aconteceram neste domingo, dia 13 de agosto na Argentina, envolendo todos os partidos políticos do país; os resultados da campanha do gari Alejandro Vilca causaram um impacto fortíssimo em Salvador de Jujuy e em outras províncias.

Vilca é um dirigente sindical reconhecido e militante do Partido dos Trabalhadores Socialistas (PTS) - organização irmã do Movimento Revolucionário de Trabalhadores (MRT) e também do Partido de Trabalhadores Revolucionários (PTR), que no norte do Chile também oficializou candidaturas operárias e da juventude - um dos partidos que compõem a Frente de Esquerda e dos Trabalhadores (FIT).

A FIT, força política que alcançou estes milhões de votos nestas PASO, sob a liderança de figuras como Myriam Bregman e Nicolás Del Caño, se consolidou nos principais distritos do país como a única alternativa de oposição "que enfrenta os planos de ajuste e é independente dos distintos bandos patronais".

A frente política eleitoral já superou 931.000 votos em toda a Argentina, obtendo um crescimento de quase 30% em relação às eleições PASO de 2015 e 2013.

Nas Primárias, a FIT se destacou em províncias como Jujuy, a partir de Vilca, que disputa o cargo de deputado, e de Gastón Remy, professor, economista e candidato a senador, se posiciona com força como um referente de toda a esquerda anticapitalista e da classe trabalhadora.

Vilca obteve 12,55% dos votos (47.007) e Remy 11,27% (42.304), localizando-se como terceira força política da província e dobrando os resultados obtidos nas Primárias de 2015, o que foi celebrado por centenas de trabalhadores, trabalhadoras e jovens em todas as partes de Jujuy.

"Foi uma campanha que gerou uma profunda solidariedade e refletiu nas ruas"

Para Galia Aguilera, professora e candidata a deputada pelo PTR (Chile) na região de Antofagasta, que viajou para Jujuy com o objetivo de conhecer estes representantes operários e socialistas, "uma das coisas que mais me impressionou foi a forte campanha militante que levou adiante dezenas de operários, operárias, suas famílias, jovens, que convenciam as outras pessoas de apoiarem uma candidatura dos trabalhadores, com estas ideias. Fizeram pesquisas, capacitaram fiscais eleitorais, iam diretamente aos bairros; ou seja, uma campanha que gerou uma profunda solidariedade e refletiu nas ruas", comentou Aguilera.

Em relação aos resultados da PASO em Jujuy, a professora e candidata a deputada considera que "uma tarefa importante é transformar toda essa solidariedade e apoio a candidaturas que representam os trabalhadores em força organizada e militante. É fundamental que se responda aos ataques que leva adiante o governo direitista de Macri a nível nacional, e que no caso da província de Jujuy se expressa no conflito que atinge os trabalhadores do Engenho La Esperanza, onde mais de 500 estão sendo ameaçados de demissão", enfatizou Aguilera.




Tópicos relacionados

Política   /    Internacional

Comentários

Comentar