Cultura

MARX NO CINEMA

Filme sobre Karl Marx tem direção de cineasta haitiano

Intitulado de “O Jovem Marx”, o longa-metragem dirigido pelo conceituado cineasta haitiano, Raoul Peck, tem previsão de estreia nos cinemas para 2017.

Demar Oliveira

Estudante de Serviço Social - UERJ

quarta-feira 28 de dezembro de 2016| Edição do dia

O filme que retratará a juventude de Karl Marx é situado em 1844, período em que começa sua grande amizade e parceria intelectual com Friedrich Engels. Em 1843, Marx, interpretado pelo ator alemão Auguste Diehl, (Bastardos Inglórios), perdeu seu emprego de redator na Gazeta Renana após ela ter sido fechada pelo governo prussiano. Desde então, o jovem Marx passou a ser perseguido e antes de exilar-se em Paris, se casou com Jenny Von Westphalen, interpretada pela atriz luxemburguesa Vicky Krieps, (Amor e Revolução).

Engels, interpretado pelo ator Stefan Konarske, era filho de um importante industrial alemão, mas apesar disso, sempre mostrou preocupação com a classe trabalhadora. Enviado pelos pais à Manchester em 1842, dirigiu a indústria de seu pai e, pôde ver de perto as precárias condições do proletariado, o que lhe fez debruçar-se sobre essa realidade e mais tarde publicar a obra “A situação da classe trabalhadora na Inglaterra”.

Em 1844, Engels decide voltar pra Alemanha, mas a pedido de Marx, encontra-o em Paris, pois até então, apenas haviam trocado correspondências. É sob esse cenário, no auge da Revolução Industrial, que Le Jeune Karl Marx, “O Jovem Marx”, na versão brasileira, promete fazer uma abordagem fiel dos acontecimentos que iniciaram a grande parceria dos dois intelectuais, que resultou em grandes obras, sendo as mais importantes, O Capital e O Manifesto do Partido Comunista. Engels também colaborou com Marx no desenvolvimento do método de análise da sociedade, chamado Materialismo Histórico Dialético.

Confira o trailer (ainda não legendado):

Quem está por trás da direção do longa-metragem é o conceituado cineasta haitiano Raoul Peck, grande entusiasta do cinema crítico. Peck também dirigiu o incrível e premiado documentário “I Am Not Your Negro” (2016), que explora a história do racismo nos Estados Unidos através de reminiscências de James Baldwin, além dos grandes defensores dos Direitos Humanos Medgar Evers, Malcolm X e Martin Luther King. O filme teve como base um manuscrito inacabado de James Baldwin e foi narrado por Samuel L. Jackson.




Tópicos relacionados

Marxismo   /    Cinema   /    Cultura

Comentários

Comentar