Sociedade

DOUTRINAÇÃO INFANTIL

Festa estranha com gente esquisita: Jair Bolsonaro é tema de aniversário infantil

terça-feira 24 de janeiro| Edição do dia

O retrato foi postado na página do ex candidato a prefeito Flávio Bolsonaro, que agradeceu o carinho e a confiança da mãe da criança. Com camiseta, pôster e até bolo temático, a pobre criança teve como tema de seu aniversário o deputado Jair Bolsonaro, o réu por incitação ao estupro, homofóbico, racista e reacionário deputado do PP-RJ.

Na imagem usada na festa temática, porém, a defesa da redução da maioridade penal ou a defesa aberta de torturadores como Brilhante Ustra não aparecem. Nem seus amiguinhos denunciados em escândalos de corrupção. Ao invés disso, Jair Bolsonaro vem disfarçado em uma caricatura de “super homem”. Ao invés do “S” no peito, uma imagem da foice e do martelo marcada por um “X” de proibido. Ou seja, toda uma estratégia para doutrinar crianças.

Só mesmo disfarçado de “Super Herói” e escondendo todas as suas posições reacionárias para uma festa infantil com o tema “Bolsonaro” conseguir arrancar um sorriso. Provavelmente a criança na foto pensa que o a imagem retratada no bolo é na realidade algum personagem de quadrinho. Triste será descobrir anos depois, de que sua festa de aniversário de criança teve como tema um deputado que devotou seu mandato para atacar os direitos democráticos das mulheres, dos LGBT dos negros e dos trabalhadores. Talvez a verdade possa ser mais chocante do que descobrir que papai Noel não existe.

O aniversário temático emocionou o ex candidato a prefeito. Isto porque a família Bolsonaro depende na realidade desta doutrinação ideológica feita pelos pais, aquele tio ou avô reacionário etc, para se eleger. Os defensores do Escola Sem Partido, que visa retirar o debate científico sobre gênero e sexualidade, ou sobre a história da escravidão, ou a história das lutas dos trabalhadores como se fossem “ideologia comunista”, querem mais é que a “família tradicional brasileira” doutrine muito bem seus filhos para sustentar sua ideologia reacionária.

Mas em geral, quando as crianças começam a crescer, é natural que questionem os valores impostos pelos pais. Esperamos sinceramente que a criança possa escolher no que se espelhar, e construir seus próprios valores, descobrindo que a moral capitalista nada mais é do que uma falsa moral. E não nos surpreenderemos se algum dia ela surgir em casa vestindo uma camiseta do Che Guevara.




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Sociedade   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar