Sociedade

MBL FAKE NEWS

Facebook desativa páginas de integrantes do MBL disseminadoras de Fake News

quarta-feira 25 de julho| Edição do dia

Como parte de buscar eliminar páginas que falsificam notícias no momento das eleições, o Facebook vem desativando páginas consideradas indevidas. Até agora foram 196 páginas e 87 contas desativadas, dentre elas uma comandada por integrantes do MBL. A fonte dessas informações é do portal Reuters.

Segundo o próprio Facebook, trava-se de “uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”.

Apesar do Facebook não ter autorizado a divulgação da identidade dos usuários envolvidos, o próprio MBL compartilhou em sua conta de Twitter que coordenadores do grupo haviam sido afetados, confirmando informações que o site Reuters havia recebido.

Em diversos momentos o MBL foi denunciado, inclusive neste portal, quanto à disseminação de notícias falsas. Após o assassinato da ex-vereadora do PSOL, Marielle Franco, por parte de forças repressivas do Estado, o MBL foi responsável pela disseminação de inúmeras calúnias contra a vereadora, que a vinculavam com chefes de tráfico.

Em outro momento trágico, quando um prédio desabou após ter sido tomado em chamas no centro de São Paulo, fazendo dezenas de mortos dentre moradores desabrigados, esse mesmo movimento disseminou falsos rumores de que o prédio estaria sob controle de facções criminosas.

Faziam exatamente o que se encontrou nas páginas desativadas. Com mais de meio milhão de seguidores, essas páginas reproduziam conteúdo de portais fascistoides como Jornalivre e O Diário Nacional. Segundo a Reuters, ao deturpar o controle compartilhado das páginas, os membros do MBL eram capazes de divulgar suas mensagens coordenadas como se as notícias viessem de diferentes veículos de comunicação independentes.

O grupo se aproveita de momentos de comoção nacional para fazerem denuncias falsas e absurdas para atacar a esquerda e os movimentos sociais, e impulsionando campanhas através das redes sociais para disseminar o ódio. É completamente repudiante as falsas alegações feita por essa organização que apoiou a Reforma Trabalhista, a Terceirização irrestrita, e entre outros ataques contra a classe trabalhadora e a juventude.




Tópicos relacionados

Extrema-direita   /    Facebook   /    MBL   /    Sociedade

Comentários

Comentar