Sociedade

TECNOLOGIA

Facebook confirma que 50 milhões de contas foram afetadas por invasão de hackers

sexta-feira 28 de setembro| Edição do dia

Foto: Alex Wong / Getty Images

Uma falha de segurança afetou 50 milhões de contas do Facebook, disse a rede social nesta sexta-feira, 28. Segundo a empresa, o problema aconteceu devido a uma vulnerabilidade presente no código da plataforma, dentro da função "Ver Como", que permite aos usuários verem como seus perfis podem ser vistos por outras pessoas, que não são suas amigas na rede social. Em um post publicado no blog oficial da empresa, Guy Rosen, vice-presidente de gerenciamento de produto do Facebook, disse que os usuários que foram afetados serão notificados pela empresa em seu feed de notícias.

Na mesma nota, Rosen disse que a empresa descobriu a falha na última terça-feira, 25. Segundo o texto, invasores estavam utilizando a falha no código para assumir as contas dos usuários. Como medida de segurança, o Facebook deslogou os 50 milhões de usuários afetados. Além disso, a rede também desconectou outros 40 milhões de usuários que fizeram uso da função "Ver Como" no último ano. Vale lembrar que hoje o Facebook tem mais de 2,3 bilhões de usuários ativos mensalmente.

A empresa acrescentou ainda que está no estágio inicial de investigações e não sabe a origem e a identidade dos atacantes, mas já corrigiu a falha e notificou a polícia. Com a notícia, as ações do Facebook operavam em queda de 2,7% às 14h50 (horário de Brasília) na tarde desta sexta-feira. O presidente executivo da empresa, Mark Zuckerberg, veio a público tentar acalmar os ânimos. "Não sabemos se alguma das contas foi realmente mal utilizada", disse Zuckerberg, em entrevista a jornalistas americanos. "Mas é claro que isso pode mudar."

Esse massivo ataque torna-se o segundo flagrante episódio de vulnerabilidade do Facebook em relação às contas dos usuários. O outro episódio foi no começo do ano, quando foi revelado que a empresa concedeu acesso aos dados de milhões de usuários norte americanos a consultoria Cambridge Analytica, que participou da campanha de Donald Trump à presidência americana, em 2016. Com o acesso aos dados a consultoria pode identificar nichos de usuários potenciais para disseminar "fake news" promovendo Trump e atacando os democratas.

O episódio provocou uma crise de confiança com o Facebook no mundo todo, levando Mark Zuckerberg a depor no Congresso americano por mais de dez horas e fazendo a empresa rever práticas e políticas de privacidade em diversos aspectos. As mudanças levaram o Facebook ainda a prever menor crescimento de receita e margem de lucro mais apertada nos próximos meses, fazendo suas ações caírem cerca de 20% no final de junho - a companhia perdeu US$ 119 bilhões em valor de mercado em um único dia, o maior tombo da história de Wall Street. Além disso, a empresa está sendo investigada por diversos órgãos federais americanos pelo escândalo.




Tópicos relacionados

Facebook   /    Sociedade

Comentários

Comentar