Internacional

ARGENTINA - LUTA CONTRA DEMISSÕES PEPSICO

Explosão de solidariedade internacional contra os demitidos da Pepsico

A luta dos trabalhadores de Pepsico na Argentina é parte desta crescente resistência contra as demissões e baixas salariais que vem sendo aplicada em todo o continente. Esses ataques estão desencadeando a solidariedade não só dos trabalhadores na Argentina como também dos setores avançados dos trabalhadores em distintos países da região e da Europa.

quarta-feira 5 de julho| Edição do dia

A partir da Bolívia, Peru, México, Alemanha e Estado Espanhol, sindicatos e estudantes enviaram saudações e demonstrações de apoio e solidariedade com os trabalhadores e trabalhadoras de Pepsico na Argentina.

A luta dos trabalhadores de Pepsico na Argentina é parte desta crescente resistência contra as demissões e baixas salariais que vem sendo aplicada em todo o continente. Esses ataques estão desencadeando a solidariedade não só dos trabalhadores na Argentina como também dos setores avançados dos trabalhadores em distintos países da região e da Europa.

Da Bolívia, Jaime Solares, ex-Secretário Executivo da Central Operária Boliviana (COB) – durante a greve geral da insurreição de outubro de 2003 – e hoje continua impulsionando o Partido dos Trabalhadores na Bolívia, se solidariza e envia seu apoio para a luta das trabalhadoras e dos trabalhadores de Pepsico na Argentina.

Também os universitários de La Paz se solidarizam com esta luta.

No Peru, Jorge Campos, Secretário Geral do Sindicato Unificado da empresa minera Southern Peru, que com 3000 trabalhadores, levaram uma importante greve no mês de abril, envia sua solidariedade com os trabalhadores em luta de Pepsico.

Por sua parte, a junta diretiva e afiliados do Sindicato de trabalhadores mineiros de ferro da mina de Shougang Peru, enviam um saudação combativa e classista. Em Peru este 19 de julho levaram adiante uma parada nacional contra as medidas de ajuste anti-operárias que vem implementando o governo de Pedro Pablo Kuczynki.

Também Arturo Luque, dirigente do sindicato da mina de Cerro Verde, o sindicato de trabalhadores de uma das maiores minas de cobre do mundo, enviam solidariedade e apoio a luta das e dos trabalhadores de Pepsico na Argentina. Mais de 1.300 trabalhadores sindicalizados de Cerro Verde sustentaram uma greve indefinida de aproximadamente três semanas durante o mês de março.

O sindicato das e dos trabalhadores da fábrica de chocolates da Ibérica, equivalente a Felfort na Argentina não só pela qualidade do chocolates, de reconhecida fama internacional, mas também pelas condições precárias de trabalho, que levou os trabalhadores desta empresa aderirem medidas de luta durante o mês de junho para melhorar suas condições de trabalho e salariais. As companheiras e companheiros de chocolates La Ibérica enviam uma calorosa e fraterna saudação de apoio e solidariedade com a valente luta das e dos trabalhadores de Pepsico.

Na Cidade do México, que no dia 30 de junho os trabalhadores do diário La Jornada foram para a greve em defesa de seu contrato coletivo e contra o corte salarial, também enviaram seu apoio aos trabalhadores de Pepsico argentina.

Essas saudações se somam a solidariedade recebida desde a Alemanha, onde tanto os trabalhadores dos hospitais como estudantes solidários e outros ativistas, se pronunciaram contra o encerramento da planta, e desde o Estado Espanhol, onde os trabalhadores e trabalhadoras da Coca-Cola que tem mais de três anos que travaram uma luta contra outra grande patronal imperialista que pretendia fechar sua fábrica, enviaram sua solidariedade internacionalista aos companheiros e companheiras de Pepsico da Argentina.

Tradução Douglas Silva




Tópicos relacionados

PepsiCo   /    Demissões   /    Internacional

Comentários

Comentar