ECONOMIA INTERNACIONAL

Exigem novos ajustes do governo grego em troca de empréstimos

Um grupo de ministros de finanças da zona do euro exige novos pacotes de ajustes do governo grego. Trata-se de um ataque às condições de vida do povo trabalhador em troca de empréstimos.

terça-feira 26 de abril de 2016| Edição do dia

Os credores internacionais pediram à Grécia na sexta-feira que prepare um pacote adicional de medidas de arrocho que poderiam ser aprovadas como leis agora, mas ser implementadas apenas se necessário, para assegurar-se de que o país alcance as metas fiscais acordadas.

Essas medidas de contingência, junto com outras que já estão sendo negociadas, permitirão o desembolso de novos empréstimos para Atenas e suavizarão o caminho para o alívio de sua dívida.

A ideia do pacote de contingenciamento parece por fim a uma longa disputa entre a zona do euro e o Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre se as atuais reformas da Grécia são suficientes.

"Chegamos à conclusão de que o pacote de políticas deveria incluir um pacote de contingenciamento de medidas adicionais que serão implementadas apenas se for necessário para cumprir com a meta de superávit primário de 2018", disse o presidente do grupo de ministros de Finanças da zona do euro, Jeroen Dijsselbloem, em uma conferência de imprensa de Amsterdã.

As medidas de contingência deverão ser "confiáveis, legisladas por antecipação, automáticas e baseadas em fatores objetivos", agregou.

O ministro grego de Finanças, Euclid Tsakalotos, disse que Atenas não podia legislar "medidas de contingenciamento" já que a lei grega não permite. Porém, Dijsselbloem disse que se encontraria uma maneira. "Claro que se há limites legais não podemos e não violaremos os limites legais. Planejaremos de uma maneira que seja legalmente possível", afirmou.

O pacote de contingenciamento busca gerar arrochos de uns 2 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), além de 3% que se gerará pelas reformas que estão sendo negociadas, disse Dijsselblem. O montante é a diferença entre as projeções da zona do euro e o FMI sobre o superávit primário que a Grécia registrará em 2018.

As reformas atuais incluem mudanças nas pensões e no imposto de renda, o estabelecimento de um fundo de privatização e um plano para lidar com empréstimos inviáveis. O conteúdo do pacote de contingenciamento ainda não foi decidido.

Tradução: Vitória Camargo




Tópicos relacionados

Fundo Monetário Internacional - FMI   /    Ajustes Fiscais   /    Grécia   /    Economia internacional   /    Pacote de ajustes   /    Syriza na Grécia

Comentários

Comentar