Sociedade

PRIVILÉGIOS DO JUDICIÁRIO

Exibindo seus privilégios, Moro soma 37 dias de afastamento para ir a eventos fora do país

segunda-feira 11 de junho| Edição do dia

Não contente apenas em ser um dos principais articuladores do golpe e da lava jato, o juiz Sérgio Moro aproveita para tirar licença das suas atribuições oficiais para dar palestras e homenagens mostrando internacionalmente seu papel de articulador do golpe. Isso escancara ainda mais os privilégios do judiciário. Recentemente ainda tirou uma licença de cinco dias para ir à Ópera em Mônaco. Mesmo nessas ausências, o juiz recebia seu salário de quase 30 mil reais integralmente, além dos benefícios.

Leia mais: Queridinho do imperialismo, Sergio Moro é prestigiado também pela monarquia de Mônaco

Em muitas ocasiões foi dar palestras sobre o combate à corrupção, o novo mote do imperialismo americano para ampliar seus interesses no Brasil e na América Latina. Dentre estas viagens, há uma viagem a Nova York, em que se encontrou com banqueiros ligado ao candidato a governador de São Paulo pelo PSDB, João Dória. Este partido que está a anos no governo de São Paulo e possui inúmeras denúncias de corrupção e mesmo assim Moro se confraterniza com eles, mostrando que seu real compromisso no combate a corrupção não passa de entregar o país a interesses maiores do imperialismo.

Além de tudo, isso escancara os privilégios do judiciário, que não só recebe salários altíssimos e vários auxílios, ainda por cima tira ‘férias’ quando bem entende, enquanto é cúmplice na aprovação da reforma trabalhista que dificultará que o trabalhador consiga sua folga semanal. Este mesmo judiciário também protagoniza o encarceramento da juventude negra. Por isso nós do Esquerda Diário levantamos a elegibilidade e revogabilidade do judiciário e que cada juiz ganhe o mesmo que uma professora!




Tópicos relacionados

Sérgio Moro   /    Sociedade   /    Poder Judiciário

Comentários

Comentar