Sociedade

CASO ELIZA SAMURDIO

Ex-goleiro acusado de matar mãe de seu filho quer negar a paternidade da criança

sábado 4 de março| Edição do dia

O ex-goleiro Bruno vai na justiça questionar a paternidade do filho de Eliza Samúdio. Dentro de duas semanas, o seu advogado, Lúcio Adolfo, vai pedir a realização de um teste de DNA no garoto e a redução da pensão alimentícia de R$ 22 mil. De acordo com o advogado ’’Quero fazer tudo dentro da legalidade. Quando decidiram esse valor da pensão, ele ganhava R$ 150 mil. Agora é desempregado. Além disso, será que o menino é filho dele mesmo? Nunca foi feito um exame’’

Enquanto estava na prisão, o ex-goleiro não pagava a pensão, mas a agora em liberdade, terá que desembolsar o dinheiro.

A gravidez de Eliza teria sido o motivo que levou ao seu assassinato e a prisão do goleiro por seis anos e sete dias. Bruno foi condenado a 22 anos e três meses por assassinato e ocultação de cadáver, além de cárcere privado do menino, que na época não tinha nem um ano de idade.

Sobre o futuro do ex-goleiro acusado de matar Eliza, o advogado afirma que ’’O Bruno pode ir até para o exterior se quiser’’. O goleiro está negociando com noves times de futebol, sendo três no interior de Minas, três no Rio de Janeiro, dois em São Paulo e um em Brasília. Os clubes não foram revelados, mas o futuro do jogador deverá ser definido nos próximos dez dias. O seu defensor também alega que existem dois clubes da série A do futebol brasileiro interessados. A mídia esportiva volta a tietar o assassino, enquanto isso ele busca completar seu crime agora contra o seu filho.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar