Política

RIO DE JANEIRO

Ex-funcionária fantasma de Bolsonaro ganha cargo em prefeitura de Angra

A nomeação foi feita por Fernando Jordão (MDB), prefeito reeleito de Angra dos Reis. Wal do Açaí é ex-candidata a vereadora (2020) apoiada diretamente por Bolsonaro, e em 2018 havia sido flagrada trabalhando no comércio de Angra durante seu horário de expediente como assessora parlamentar do então deputado federal.

quinta-feira 21 de janeiro| Edição do dia

Foto: Facebook/Reprodução

Walderice Santos da Conceição, vendedora de açaí de Angra dos Reis (RJ) e próxima da família Bolsonaro, foi nomeada ao cargo comissionado de “Coordenadora Técnica da Vila Histórica” (com salário mensal de R$ 3.323,44) pelo prefeito reeleito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, do MDB. Cinco dias antes da nomeação, Fernando Jordão, que também é próximo de Bolsonaro, se reuniu com o presidente em Brasília, sendo um dos poucos prefeitos a serem oficialmente recebidos por ele no DF. Na ocasião, a pauta oficial eram obras de infraestrutura a serem realizadas na região de Angra.

Nas últimas eleições municipais, Wal do Açaí tentou se eleger como vereadora da cidade pelo Republicanos, com forte apoio direto de Bolsonaro e seus filhos, mas obteve insuficientes 266 votos e não atingiu nem a margem de suplência. No entanto, A Prefeitura de Angra dos Reis justificou em nota a nomeação pois Walerice “conhece profundamente todos os problemas da comunidade, assim como tem bom relacionamento com os mais diversos setores e é bem aceita pela população local".

Veja também: Ex-assessora de Flavio Bolsonaro confirma esquema de “rachadinha” na ALERJ

Em 2018, a nova “Coordenadora Técnica”, cujo marido era caseiro na casa de veraneio da família Bolsonaro, passou a ser investigada pelo Ministério Público Federal de Brasília como suspeita de ter sido funcionária fantasma do presidente Jair Bolsonaro, quando este ainda era deputado federal. Os registros da Câmara dos Deputados mostram que Wal do Açaí passou mais de 15 anos oscilando em cargos no gabinete, com mais de 26 mudanças de cargo no período.

Wal do Açaí foi flagrada por jornalistas trabalhando normalmente em Angra, enquanto deveria estar cumprindo expediente na Câmara de Brasília. Na época, sua remuneração ao cargo de assessora constava em R$ 1.416,33. Passando longe da narrativa eleitoral de que iria "acabar com a mamata", o que vemos desde o início do Governo Bolsonaro é a continuação do histórico de mais de 30 anos de seu clã, profissionais do nepotismo, da troca de favores e das rachadinhas.

O combate à direita reacionária e seus esquemas e privilégios passa não só por enfrentamos Bolsonaro, mas também o conjunto dos outros responsáveis por chegarmos até aqui. Não é possível confiar em nenhuma fração do poder Judiciário, seja o STF, os juízes ou o MP: na manutenção de seus privilégios e contra os trabalhadores e o povo pobre, suas diferenças dissolvem como o vapor. Nós do MRT e do Esquerda Diário colocamos todas as nossas energias junto aos trabalhadores e apostamos no caminho da luta de classes, contra as alianças com nossos inimigos (as frentes amplas) e pela unidade de nossas fileiras contra Bolsonaro, Mourão, as instituições do regime golpista e os capitalistas!

Veja também: Advogada de Flávio Bolsonaro admite que recebeu relatórios da Abin para ajudar defesa




Tópicos relacionados

Bolsonaro   /    Família Bolsonaro   /    Flavio Bolsonaro   /    Jair Bolsonaro   /    MDB   /    Rio de Janeiro   /    Corrupção   /    Política

Comentários

Comentar