×

PRECARIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO | Estudantes de Cândido Mota protestam contra a imposição do excludente Programa de Ensino Integral

Em Cândido Mota, estudantes da rede pública do Estado de São Paulo da escola Rachid Jabur, protestaram nesta segunda-feira contra a tentativa de imposição do excludente Programa de Ensino Integral (PEI).

terça-feira 24 de maio | Edição do dia

Estudantes da Escola Estadual Rachid Jabur da cidade de Cândido Mota, região de Assis - interior do Estado de São Paulo, protestaram nesta segunda-feira (23) contra a tentativa de imposição do excludente Programa de Ensino Integral. O Esquerda Diário recebeu denúncia anônima com relatos que expressam o caráter totalmente antidemocrático levado adiante pela gestão escolar e o assédio de professores favoráveis ao programa.

Nos últimos anos, em especial durante o governo de João Doria PSDB), o Programa de Ensino Integral sofreu enorme expansão à revelia da comunidade escolar. A previsão da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEDUC) é de mais 100 escolas PEI até o final deste ano (totalizando 2.150). Para 2023 a SEDUC planeja 3 mil escolas. A Escola Estadual Rachid Jabur é parte desse ataque!

Diferente das maravilhas afirmadas e vendidas por Doria e seu ex-secretário da educação, Rossieli Soares, o PEI aprofunda a dualidade estrutural na educação uma vez que exclui o jovem trabalhador ao estabelecer uma divisão entre aqueles que podem se dedicar somente aos estudos e uma imensa maioria que necessita trabalhar. Situação que se aprofunda diante do cenário de miséria instalado no país de Bolsonaro e de todo esse regime político que descarrega a crise nas costas da juventude e dos trabalhadores. O programa não exclui somente o jovem trabalhador, mas também todos aqueles estudantes que no período oposto realizam cursos de profissionalização ou possuem quaisquer outro tipo de compromisso.

Leia mais "A prática é bem diferente da ideia que vendem" relata professora de escola integral de SP

Para além do caráter excludente o PEI sobrecarrega as escolas de tempo regular uma vez que essas terão que absorver toda juventude que não poderá se matricular nessa modalidade da rede. Para os professores há sobrecarga de trabalho ao mesmo tempo que aprofunda os mecanismos de controle e as possibilidades de assédio. Isso fica evidente com as possibilidades iminentes de cessação de contrato dos professores por parte da direção escolar e com os sistemas avaliativos que estimulam a competição entre os trabalhadores da escola. Junto ao Novo Ensino Médio, o PEI tal como foi imposto pelo tucanato e pelos reformadores empresariais da educação é a inoculação do veneno do neoliberalismo na escola.

A denúncia recebida pelo Esquerda Diário afirmou que a gestão escolar enviou comunicado aos responsáveis dos estudantes solicitando o voto, favorável ou não, ao Programa de Ensino Integral por fora de realizar qualquer debate e esclarecimento quanto ao programa em si e seus impactos tanto na vida e formação dos estudantes quanto na dos docentes e na rede regular de ensino. Isso ocorreu, segundo a denúncia, de forma combinada com o assédio de professores favoráveis à implementação do programa. Estudantes afirmaram que foram coagidos, “quem votasse não teria que chamar os pais para explicar os motivos”. Toda uma retórica punitiva para aqueles que não tivessem acordo com o PEI.

Os estudantes não aceitaram a intimidação e também expressaram seu repúdio ao programa excludente. Nas redes sociais publicaram vídeos com a manifestação que organizaram nesta segunda-feira dentro da escola e afirmaram que seguirão com a mobilização até garantir que o mesmo não seja imposto.

TODO APOIO AOS ESTUDANTES DA ESCOLA ESTADUAL RACHID JABUR. NÃO AO EXCLUDENTE PROGRAMA DE ENSINO INTEGRAL! BASTA DE ASSÉDIO!




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias