DO EDITOR PARA O LEITOR

Esquerda Diário atinge recorde de mais de 12 mil acessos no dia da paralisação nacional

Iuri Tonelo

São Paulo

sábado 30 de maio de 2015| Edição do dia

As vésperas de completar dois meses o Esquerda Diário recebeu um presente: conseguiu atingir um pico de mais 12 mil em apenas um dia.

Os acessos em um diário de esquerda, frente aos grandes monopólios jornalísticos, já são um dado muito importante; mas esse pico de acessos não veio em um dia qualquer, mas durante a paralisação nacional dos trabalhadores, convocada pelas centrais sindicais nesta quinta-feira (dia 29).

O Esquerda Diário buscou preparar uma ampla cobertura da paralisação, que já no começo da manhã chamou a atenção de todo o público e da nossa equipe para a repressão dos trabalhadores da USP, que com toda a truculência da polícia foi um dos importantes fatos desse dia.

Neste mesmo dia o portal também destacava com opiniões e vídeos o autoritarismo da reitoria da UERJ expressando como temos feito diariamente a mobilização nesta e outras universidades do país. O Esquerda Diário com seus correspondentes nas universidades se coloca como instrumento para "informar-se pela esquerda" mas também para fortalecer uma nova geração no movimento estudantil que além de pautar a luta em apoio aos terceirizados está avançando em sua luta não só contra os "ajustes" na educação mas a questionamentos mais profundos sobre as universidades, de seu acesso, condições de permanência a estrutura de poder.

Essa e outras notícias foram expressas pela equipe do Esquerda Diário, com correspondentes direto dos atos em distintos estados do país.

Além da paralisação, outro tema chamou a atenção nas redes nesses últimos dias: a campanha “que todo político ganhe igual a uma professora” viralizou em cada canto do mundo virtual, com a matéria destacada no diário com 30 mil curtidas.

Esse sucesso só pode ser explicado porque a campanha veio em boa hora, ligando uma das principais lutas em nível nacional, dos professores em diversos estados com greves e mobilizações, com uma resposta ao problema da corrupção no país e a necessidade de acabar de vez com os privilégios da verdadeira “casta” de políticos que vivem em condições muito distintas de um trabalhador.

Seja com essa campanha e a busca de um governo de trabalhadores (com salários de uma professora, um “governo barato”), seja com a cobertura de mobilizações dos trabalhadores como a paralisação nacional, o Esquerda Diário vai dando passos em se consolidar como importante ferramenta da luta dos trabalhadores no país, uma imprensa realmente independente.




Comentários

Comentar